“We Don’t Need Another Hero”, a 10a Bienal de Berlim, abre ao público no dia 09/06/18, trazendo 46 artistas e coletivos de todo o mundo. Com direção de Gabriele Horn e curadoria de Gabi Ngcobo (a parte da equipe curatorial da 32a. Bienal de São Paulo), a mostra foi organizada a partir da referência do hit pop da cantora Tina Turner, de 1985, que empresta o nome à exposição. A frase faz alusão ao momento de instabilidades políticas e grandes mudanças sociais no nosso tempo presente. De acordo com o statement da curadora, esta edição da Bienal não nos oferece uma interpretação coerente da história, ela vem como rejeição de figuras heróicas e salvadores da pátria que poderiam seduzir e inebriar. Pelo contrário, a mostra explora o potencial político da auto-preservação, recusando os sistemas de conhecimento estabelecidos e as narrativas históricas que contribuem para a criação de subjetividades tóxicas. Com sua já conhecida pesquisa pós-colonial, Ngcobo apresenta o interesse em diferentes configurações dos saberes e poderes que nos permitem experimentar contradições e complicações.

A 10a Bienal de Berlim tem a participação das brasileiras Cinthia Marcelle e Fabiana Faleiros, com o colombiano Oscar Murillo, com a já falecida artista cubana Ana Mendieta, com o americano Tony Cokes, além de jovens artistas em início e meio de carreira, como Sondra Perry, Mimi Cherono Ng’ok, Luke Willis Thompson e Herman Mbamba.

A programação do evento, que vai até 09/09/18, inclui dezenas de performances, instalações, programas públicos, além das exposições que ocupam espaços distintos pela cidade de Berlim: Akademie der Künste; KW Institute for Contemporary Art; Volksbühne Pavilion; ZK/U – Center for Art and Urbanistics; Hau Hebbel am Ufer (HAU 2)

10a Bienal de Berlim – We Don’t Need Another Hero
Abertura: 08/06
Visitação: até 09/09/18; quarta a segunda, 11h-19h; quinta até 21h;
Vários endereços.
Ingressos: 16 € (inteira, todos os espaços), 10 € (reduzida, todos os espaços).