2019 mal começou e o ARTEQUEACONTECE já está de olho nos artistas que vão se destacar ao longo deste próximo ano! Veja aqui a lista de 11 artistas brasileiros para ficar de olho!

 

1. Erika Verzutti – a brasileira abre no mês de fevereiro uma individual no incomparável Centre George Pompidou, em Paris. A mostra faz parte da terceira edição do programa “Mutations / Créations”.

 

2. Tiago Mestre – o português radicado em São Paulo está, atualmente, na conceituada residência artística Gasworks, em Londres. O programa, que traz incrível visibilidade para os artistas, se encerra em março.

 

3. Anna Maria Maiolino – uma das mais importantes artistas da geração dos anos 1960 e 70, Maiolino terá uma grande mostra solo no PAC de Milão, em março. “O Amor se faz Revolucionário” tem curadoria de Diego Sileo e destaca o caráter de força e vitalidade da produção da artista italiana radicada no Brasil.

 

4. Artur Lescher – o artista paulistano organizará na Pinacoteca uma retrospectiva que pontua os momentos mais importantes de sua trajetória, também em março. A mostra terá curadoria de Camila Bechelany.

 

5. Jac Leirner – em 2018, Jac teve uma das mais bem recebidas exposições do ano em sua galeria, “Adição”, em maio, e em outubro foi anunciada como ganhadora do prêmio Wolfgang Hahn. A premiação acontece em abril deste ano, e o museu que promove o evento também apresentará uma individual da artista.

 

6. Felippe Moraes – o artista, hoje radicado em Portugal, abre uma exposição individual em um dos espaços expositivos da FIESP, na Av. Paulista. A mostra é dedicada à experiência da música e do som, e terá uma cuidadosa abertura para o público infantil.

 

7. Bárbara Wagner e Benjamin de Burca – a dupla, formada por uma brasileira e um alemão, participou da 32a Bienal de São Paulo, do Skulptur Projekte em 2017 e apresentou uma nova pesquisa no IMS em 2018 na mostra Corpo a Corpo. Agora, em 2019, o duo irá ocupar o pavilhão brasileiro na próxima edição da Bienal de Veneza, em maio, com curadoria de Gabriel Peréz-Barreiro.

 

8. Élle de Bernardini – depois de ganhar uma das vagas do primeiro programa de residência artística do Instituto Adelina em São Paulo e de uma individual no MARGS, na qual apresentou a série fotográfica “Imperatriz”, Élle de Bernardini mudou-se de vez para a capital paulista e está se preparando para sua residência no espaço independente Pivô, em maio – jovem produção para ficar no radar.

 

9. Bruno Novaes – depois de entrar para o time de representados da OMA Galeria em 2018 e ter duas exposições individuais – uma no próprio espaço da OMA em São Bernardo e outra na Casa do Olhar, em Santo André, Bruno Novaes foi selecionado para a Temporada de Projetos do Paço das Artes e deve logo mais trazer sua mais nova individual para o MIS.

 

10. Carlos Monroy – já figurado na seção Artista Aposta do AQA, Carlos Monroy acaba de encerrar 3 meses de residência artística na prestigiada Cité des Arts, em Paris. No fim de 2018, apresentou sua individual, “Corpus Leve Obis Novus – Erários do Rei Momo El Migrante V”, no Centro Cultural São Paulo, parte do Programa de Exposições da instituição.

 

11. Lyz Parayzo – depois de se destacar em performances realizadas no Parque Lage, no Rio de Janeiro, e de participar da grande coletiva “Histórias da Sexualidade”, no MASP, Lyz Parayzo esteve em residência no Pivô, foi uma das finalistas do Prêmio EDP nas Artes e está expondo em Portugal. Agora com residência fixa em São Paulo, continua desenvolvendo sua pesquisa e escancarando cada vez mais questões políticas e sociais urgentes dentro e fora do mundo da arte.