O MAM São Paulo apresenta a 36a edição do Panorama da Arte Brasileira. “Sertão” é o título e o conceito proposto pela curadora Júlia Rebouças para articular o Panorama, do qual participam 29 artistas e coletivos. Após um extenso processo de pesquisa e viagens por diversas regiões do Brasil, a curadora convidou artistas que se relacionam com o conceito, entendendo a própria arte como “sertão” – em sua instância de experimentação e resistência –, contestando, portanto, o viés restritivamente geográfico facilmente associado à palavra. Sertão é apresentado nesta exposição como um modo de pensar e de agir, que tem a criação artística como um de seus importantes aspectos definidores.

A necessidade de reelaborar a história brasileira, uma repactuação social, espiritualidade, identidade de gênero, lutas antirracistas e a relação com o meio ambiente são algumas das questões que aparecem nas instalações, fotografias, pinturas, vídeos, esculturas e projetos deste Panorama. Os artistas selecionados estão em início ou meio de carreira, com produções que apontam para territórios especulativos que dão sentido à ideia de sertão, além de artistas com trajetórias mais extensas, que apresentam obras que merecem ser revisitadas à luz dos debates propostos.

Artistas que integram o 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão

Ana Lira (Caruaru – PE, 1977. Vive no Recife); Ana Pi (Belo Horizonte, 1986. Vive em Paris); Ana Vaz (Brasília, 1986. Vive em Lisboa e em Paris); Antonio Obá (Ceilândia – DF, 1983. Vive em Brasília); Coletivo Fulni-ô de Cinema (Águas Belas – PE); Cristiano Lenhardt (Itaara – RS, 1974. Vive em São Lourenço da Mata – PE); Dalton Paula (Brasília, 1982. Vive em Goiânia); Daniel Albuquerque (Rio de Janeiro, 1983. Vive no Rio de Janeiro); Desali (Contagem – MG, 1983. Vive em Contagem – MG); Gabi Bresola & Mariana Berta (Joaçaba – SC, 1992 / Peritiba – SC, 1990. Vivem em Florianópolis); Gê Viana (Santa Luzia – MA, 1986. Vive em São Luís); Gervane de Paula (Cuiabá, 1961. Vive em Cuiabá); Lise Lobato (Belém, 1963. Vive em Belém); Luciana Magno (Belém, 1987. Vive em São Paulo); Mabe Bethônico (Belo Horizonte, 1966. Vive em Genebra e Belo Horizonte); Mariana de Matos (Governador Valadares – MG, 1987. Vive no Recife); Maxim Malhado (Ibicaraí – BA, 1967. Vive em Massarandupió – BA); Maxwell Alexandre (Rio de Janeiro, 1990. Vive no Rio de Janeiro); Michel Zózimo (Santa Maria – RS, 1977. Vive em Porto Alegre); Paul Setúbal (Aparecida de Goiânia – GO, 1987. Vive em São Paulo); Radio Yandê (Rio de Janeiro, 2013); Randolpho Lamonier (Contagem – MG, 1988. Vive em Belo Horizonte); Raphael Escobar (São Paulo, 1987. Vive em São Paulo); Raquel Versieux (Belo Horizonte, 1984. Vive no Crato – CE); Regina Parra (São Paulo, 1984. Vive em São Paulo); Rosa Luz (Gama – DF, 1995. Vive em São Paulo); Santídio Pereira (Curral Comprido – PI, 1996. Vive em São Paulo); Vânia Medeiros (Salvador, 1984. Vive em São Paulo); Vulcânica PokaRopa (Presidente Bernardes – SP, 1993. Vive em Florianópolis)

50 anos de Panorama
O Panorama da Arte Brasileira teve sua primeira edição em 1969 e foi idealizado como forma de o museu recompor seu acervo e voltar a participar ativamente do circuito artístico contemporâneo. A princípio evento anual, o Panorama passou a ser realizado a cada dois anos a partir de 1995, contando até o momento 35 edições.

36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão
Abertura:
17/08/19, 10h
Visitação: até 15/11/19; terça a domingo, 10h-17h30 (permanência até 18h)
Museu de Arte Moderna de São Paulo: Parque Ibirapuera (av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portões 1 e 3), São Paulo. Ingressos: R$7 (gratuito aos sábados)