A FIAC – a feira de arte mais importante da França, realizada anualmente em Paris – encerrou-se no último domingo em meio a um clima otimista e aquecido, em parte devido à tensão e indefinição sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. Entre as vendas mais altas do evento  estão obras de Louise Bourgeois e Robert Rauschenberg, vendidas respectivamente por 1.75 e 1.7 milhões de dólares pelas galerias Hauser & Wirth e Thaddaeus Ropac. Ambas as galerias também foram responsáveis por outras vendas milionárias: a primeira vendeu uma obra do artista americano Mark Bradford por 1.2 milhões de dólares, enquanto a segunda emplacou uma pintura de Georg Baselitz por 1.3 milhões – os dois trabalhos são datados de 2019. Entre os brasileiros o destaque ficou por conta de Lucas Arruda, que agora faz parte do time da gigante David Zwirner, que acaba de abrir espaço expositivo e comercial na capital francesa – Arruda vendeu 6 obras, cada uma avaliada entre 75 e 80 mil dólares cada.