A obra de Ernesto Neto envolve um constante imaginar outras possibilidades de estar no mundo, outros modos de convivência entre as pessoas e delas com o ambiente, a natureza, a espiritualidade. Neste sentido, suas instalações mais recentes têm sido concebidas para acolher celebrações coletivas em reverência à essas esferas a partir de saberes ancestrais.

Ao longo do período expositivo, o artista propõe uma ativação da obra por meio de quatro ciclos que incluem um “banho”, momento no qual o tronco é envolvido pela gota simulando uma cópula – a fusão entre feminino e masculino – assegurando aos participantes uma restauração energética. Após o ato, o tronco é cortado. Até o fim da exposição, este será eliminado totalmente.

No dia 04/05/19, entre 11h-16h, o artista promove a segunda ativação da obra, no Ciclo 2, cujo tema será “Ewê, Dau | Agô, Tekoha – Segredo das folhas e território ancestral”.

Ewê (folha em Yorubá) e Dau (folha em Huni Kuin) remete ao conhecimento proveniente das plantas e ao autocuidado. Agô significa licença ou permissão em Yorubá, palavra que se enuncia sempre que um adentra o território do sagrado, indicando abertura de caminhos.  Já Tekoha, em Guarani, seriam os espaços demarcados pela alteridade, sejam de relações de tensão com outros povos ou em relação ao sobrenatural. Ao juntar esses termos, o artista propõe um pedido de licença ao território em disputa para viabilizar caminhos de cura entre os povos e entre humano e natureza a partir do conhecimento das plantas.

PROGRAMAÇÃO

11h00 – Meditação com Inae Moreira
12h00 – Banho – movimento da obra
12h30 – Fala com Pagu
13h00 – Almoço com EBÉ
14h00 – Fala com Walter Gomes
14h00 – Cura com Negalê Jones – ‘Sonata Quilombola’ e ‘Baoba Centenario’
15h00 – Cura com Isaka Huni Kuin – Saberes ancestrais e óleos essenciais
16h00 – Finalização