O Sesc Pompeia apresenta a exposição “Entrevendo”, uma antologia poética e histórica de Cildo Meireles. O título da mostra toma emprestado o nome de um trabalho de 1970/1994. Em forma de um túnel sem saída, a instalação de madeira convida o visitante a entrar e caminhar em direção a uma fonte de vento quente, enquanto derretem em sua boca gelos de água doce e salgada.

Entrevendo está entre as cerca de 150 obras do artista, produzidas desde os anos 1960 até os dias atuais, em diferentes linguagens, suportes e temas, que foram selecionadas pelos curadores Júlia Rebouças e Diego Matos. A mostra preenche uma lacuna histórica de duas décadas sem uma retrospectiva deste que é um dos mais importantes artistas brasileiros.

Para apresentar o maior acervo de Cildo Meireles já exposto na América Latina, que inclui trabalhos inéditos no Brasil e outros nunca mostrados em conjunto, a dupla partiu da ideia polissêmica de “sentido”. Sensação, compreensão, sinestesia, escala, direção e propósito surgem em diversas camadas na produção do artista, ao longo de mais de 50 anos de trajetória. Além de Entrevendo, serão expostas outras grandes instalações, como Amerikkka (1991/2013), pela primeira vez no país, Missão, Missões – Como construir catedrais (1987), em versão inédita, e Olvido (1987-1989). Para os curadores, esses trabalhos, em conjunto, revelam um entendimento complexo de Brasil, ao tratar da violência que marcou o processo colonial, cujas estruturas ainda moldam a experiência contemporânea.

A série Blindhotland (1970), que inclui a icônica Eureka/Blindhotland (1970-1975), terá a primeira exibição no país em sua totalidade, ao reunir a instalação participativa Blindhotland/Gueto (1975), em sua segunda montagem desde 1975. De maneira semelhante, poderão ser vistos todos os projetos, desenhos, ações, objetos e documentos da série Arte Física (1969). Também estão entre os destaques as instalações Antes (1977/2003), nunca montada no Brasil, e a obra Volátil (1980/1994).

Cildo Meireles: Entrevendo
Curadoria: Julia Rebouças e Diego Matos
Abertura: 25/09/19, 20h
Visitação:
até 02/02/2020; terça a sábado, 10h-21h30; domingo, 10h-19h30
Sesc Pompeia: Rua Clélia, 93, São Paulo. Entrada gratuita