Desde o último dia 16 de setembro, a cidade de São Paulo terá uma exposição itinerante sobre o poluído rio Tietê. A obra inflável com mais de 30 metros de comprimento irá navegar por toda a extensão do principal rio da capital, como um alerta para a sociedade sobre a atual degradação das águas e a necessidade de recuperação deste importante elemento urbano de São Paulo, que poderia se integrar ao cotidiano como espaço de mobilidade urbana. A exposição é apoiada pela 99 tecnologia, por meio do Programa de Apoio a Projetos Culturais (Pro-Mac), e da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, por meio do DAEE (Departamento de Água e Energia Elétrica).

A intervenção é composta por uma escultura na forma de um peixe de água doce da espécie Pintado, que já viveu na região antes da contaminação das águas. Segundo o artista, a exposição simbolizará o fenômeno da Piracema, que na língua tupi significa “subida do peixe”, quando o mesmo nada contra a correnteza para perpetuar a espécie.

“O rio Tietê nasce a 20 km no Oceano Atlântico, mas corre para o interior e foi fundamental para os índios e bandeirantes, assim como na formação da própria cidade de São Paulo. O “Pintado” nos lembrará das cores e formas perdidas do verdadeiro Tietê e também de um futuro com mais oxigênio. Por isso, sua enorme boca aberta querendo respirar”.

Srur conta que ficou impressionado quando descobriu, na semana de montagem da obra junto aos trabalhadores do desassoreamento do rio, que ainda existe uma espécie de peixe parecida com o Pintado que habita o Tietê na capital. “Quando mostraram a foto do peixe, tive um misto de tristeza e esperança; de ver a luta pela vida e a força da natureza em qualquer circunstância. Nós paulistanos, somos iguais a este peixe”.

 No dia 19 de setembro, o artista Eduardo Srur em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, promoverão na ponte das Bandeiras a apresentação dos dados do rio Tietê e os indicadores da mancha de poluição que impacta o rio e a qualidade dos municípios banhados por suas águas.

 Em 22 de setembro, quando se celebra o dia do Rio Tietê, Srur programa navegar junto com a obra. A ideia é provocar a reflexão, também pertinente, sobre a mobilidade dentro do rio. “O Rio Tietê é navegável e isso traria integração com o cotidiano da cidade. Desconfio que o Pintado chegará antes no seu destino que milhares de motoristas presos no trânsito das marginais. ”

Serviço: Exposição “Pintado”

Datas: 16 a 30 de setembro de 2019

Local: Rio Tietê, diversos pontos da cidade

Evento aberto ao público e gratuito

Compartilhar