A série de foto-performances, “A Imperatriz” surge de um desejo por preencher uma lacuna histórica na representação de pessoas transexuais na história da arte. É do jogo entre: arquitetura, performatividade de gênero e poder, que emerge a figura da Imperatriz encarnada em mim. É um processo em andamento, e até o presente momento já contou com o apoio das seguintes instituições: Santander Cultural (Porto Alegre), MAC-Niterói (Niterói), MAM-Rio (Rio de Janeiro), Parque Lage (Rio de Janeiro), e Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro).
Élle de Bernardini: A Imperatriz
Abertura: 08/11, 19h
Visitação: até 06/01/19; terça a domingo, 10h-19h
Museu de Arte do Rio Grande do Sul: Praça da Alfândega, s/n, Porto Alegre. Entrada Franca
Compartilhar