A Baró Galeria apresenta a primeira exposição individual de Josafá Neves, “Visceral Art”, com curadoria de Marcus Lontra. A obra de Neves revela a potência de imagens obliteradas pelo discurso oficial colonizador e patriarcal. A mostra reúne trabalhos de potência visual marcante, nas quais imagens resultantes do sincretismo religioso constróem o imaginário místico brasileiro.

A obra de Josafá Neves revela a potência de imagens obliteradas pelo discurso oficial colonizador e patriarcal. Aqui não há espaço para acomodações, para discursos conciliatórios que objetivam criar uma falsa ideia de harmonia e integração racial num país majoritariamente formado por mestiços, filhos do estupro de mulheres negras da parte do homem branco, e que continua a marginalizar e desmerecer a enorme contribuição cultural da arte afro-americana. A história da arte oficial brasileira é o retrato dessa imagem apagada, desse silêncio que ignora a contribuição africana para valorizar tão-somente a presença européia, seus movimentos, suas estratégias de articulação de poder e dominação. Mesmo no modernismo, em sua proposta igualitária e transformadora, a presença de grandes artistas negros se justificava através de discursos críticos que equivocadamente aliavam tais artistas a movimentos construtivos europeus, esquecendo deliberadamente a geometria primeva, essencial, presente nos totens, nos ritos, nas máscaras, nos troncos, nos corpos. A exposição que o artista apresenta reúne obras de potência visual marcante, nas quais imagens resultantes do sincretismo religioso constroem o imaginário místico brasileiro, como no caso de Nossa Senhora de Aparecida, padroeira do Brasil, afirmando a sua negritude, e aludem à saga de violência contra as mulheres negras no país, da escrava Anastácia amordaçada até Marielle Franco, mulher negra assassinada por defender a liberdade e a democracia. Até quando? Este é o brado que as telas de Josafá expressam: até quando esse país insistirá em não admitir a violência
que embasa a nossa história e que justifica a tragédia de um povo que não se
reconhece no espelho?

 

Josafá Neves: Visceral Art
Abertura: 31/01/19, 18h-22h
Visitação: até 16/03/19; terça a sexta, 10h-19; sábado, 11h-19h
Baró Galeria: Rua da Consolação, 3417. Entrada gratuita.

Compartilhar