O Paço das Artes apresenta duas novas exposições da Temporada de Projetos: “Entre o azul e o que não me deixo/deixam esquecer” e “acerca do fracasso das formas”.

Entre o azul e o que não me deixo/deixam esquecer, de Juliana dos Santos, é o desmembramento de uma pesquisa, iniciada pela artista em 2016, sobre o azul e suas qualidades metafísicas, terapêuticas e plástico-formais a partir da flor Clitória Ternátea. Uma fração deste estudo foi apresentada no Paço das Artes em 2017 e agora, parte para uma instalação performativa sensorial que tem a cor azul como elemento disparador do encontro e que levanta questionamentos como “qual o limite de criação dos artistas negros?”. O espaço expositivo, ativado pela presença do público, aciona um campo de luz azul e um relato em que a artista partilha suas conexões com a cor a partir de reflexões e analogias com a imaginação, o esquecimento e a dor.

Paralelamente, o Coletivo Cartográfico – grupo paulistano de dança e arte contemporânea de Carolina Nóbrega, Fabiane Carneiro e Monica Galvão – cujas ações procuram expor o corpo a embates, encontros e interações com materialidades concretas, apresenta “acerca do fracasso das formas”. Nesta exposição, em parceria com o artista Jorge Soledar, são exibidas fotografias, vídeos, blocos de texto e resíduos resultantes de uma instalação/performance ocorrida em 2017. Tal ação, que teve duração de 24 horas (divididas em oito apresentações de três horas cada) foi realizada em um antigo galpão no bairro do Bom Retiro e consistia na relação de simbiose e destruição entre os artistas e o mobiliário de uma suposta casa burguesa.

Juliana dos Santos: “Entre o azul e o que não me deixo/deixam esquecer”
Coletivo Cartográfico: “acerca do fracasso das formas”
Abertura: 18/06/19, 10h
Visitação: até 18/08/19; terça a sábado, 11h-20h; domingo, 11h-19h
Paço das Artes: Av. Europa, 158, São Paulo. Entrada gratuita