A Tate Modern apresenta a fonte monumental com 13 metros de altura criada por Kara Walker. Mais conhecida por suas investigações provocativas e sinceras sobre raça, sexualidade e violência por meio da história da escravidão, Walker criou agora uma das mais ambiciosas obras comissionadas pelo projeto Hyundai Commission até hoje. Fons Americanus apresenta uma história de origem da diáspora africana e coloca perguntas oportunas sobre o que é lembrado e o que é esquecido em monumentos públicos. Essa é a quinta edição anual do projeto Hyundai Commission, uma série de trabalhos específicos criados especificamente para o Turbine Hall por renomados artistas internacionais, como parte da parceria entre a Tate e a Hyundai Motor.   

Posicionado no fim do Turbine Hall, Fons Americanus é uma fonte que sobe de duas bacias ovais cheias de água. Figuras escultóricas ocupam essas bacias e quatro lados do pedestal central de multicamadas, com água jorrando da figura no topo. Sua forma é inspirada no Victoria Memorial em frente ao Buckingham Palace, projetado em 1901 e apresentada em 1911 para honrar as conquistas da Rainha Victoria. Ao invés de uma celebração ao império britânico, a obra de Walker oferece uma poderosa crítica, invertendo a função usual de memoriais e questionando as narrativas de poder que eles apresentam. A fonte é uma alegoria do Black Atlantic, explorando as histórias interconectadas da África, América e Europa por meio de fatos, ficção e fantasia. Usando água como tema-chave, a artista faz referência ao comércio transatlântico de escravos e as ambições, destinos e tragédias desses três continentes.

As figuras esculturais cobrindo o monumento são derivadas de uma variedade de fontes históricas, literárias e culturais da arte. Esse incluem J.M.W. Turner’s Slave Ship 1840, Winslow Homer’s Gulf Stream 1899 e o tubarão mergulhado em formol de Damien Hirst, “The Physical Impossibility of Death in the Mind of Someone Living” (1991). A imagem de propaganda de escravos do século XIX é uma fonte particular de inspiração, ao lado de outras imagens da deusa romana Vênus em pé em uma concha. A figura da Vênus que está orgulhosamente no topo da fonte de Walker, reformulada como sacerdotisa das religiões afro-brasileiras e caribenha. Sua concha recortada se torna uma pequena segunda escultura localizada na frente à ponte do Turbine Hall, onde o rosto de um menino chorando emerge da piscina de água, enchendo a concha com suas lágrimas.     

Kara Walker: Fons Americanus
Abertura: 02/10/19
Visitação: até 05/04/2020; todos os dias, 10h-18h (sexta e sábado até 22h)
Tate Modern: Bankside, Londres, SE1 9TG. Entrada gratuita

Compartilhar