Pinacoteca de São Paulo apresenta a exposição León Ferrari: Nós não sabíamos, que reúne cinquenta obras de autoria do artista argentino pertencentes à coleção do museu. Organizada pelo Núcleo de Curadoria e Pesquisa da Pinacoteca, a mostra ocupa a sala C, contígua à exposição do acervo da produção artística brasileira do século XIX da Pinacoteca, e enfatiza o aspecto político que marcou a produção de Ferrari, carregada por uma crítica contundente às instituições de arte, aos sistemas políticos e à moral vigente nas décadas de 1960 e 1970. Esta é a primeira vez que o museu exibe duas séries completas de sua coleção, relacionadas ao artista falecido em 2013.

León Ferrari é um dos artistas latino-americanos mais consagrados mundialmente. Foi aclamado na Bienal de Veneza, em 2007, na qual recebeu o Leão de Ouro, em reconhecimento por sua obra. Em sua prática artística, faz uso de distintas linguagens, como a escultura, o desenho, a caligrafia, a colagem, a instalação e o vídeo. Esse conjunto heterogêneo e os temas abordados revelam tanto seu caráter de pesquisador e ativista como a preocupação com a investigação estética da linguagem, questionando o mundo ocidental, o poder e a normatização que ditam os valores da religião, da arte, da justiça e do Estado. A repetição, a ironia e a literalidade também são recursos de sua poética, reconhecidos desde suas obras iniciais.

Em paralelo o museu também abre duas outras mostras. Adrià Julià: Nem mesmo os mortos sobreviverão é a primeira individual no Brasil do artista nascido em Barcelona, em 1974. Com curadoria de Fernanda Pitta, apresenta trabalhos que ocupam o pátio e duas salas contíguas à exposição de longa duração do acervo da Pina, no segundo andar. Já Gravura e crítica social: 1925-1956 reúne gravuras pertencentes ao acervo da Pina, com temas que giram em torno do engajamento social. Com curadoria de Valéria Piccoli, o conjunto é composto por 67 obras em xilogravura e linoleogravura de autoria de 18 artistas brasileiros como Lívio Abramo, Lasar Segall, Oswaldo Goeldi e Renina Katz.

León Ferrari: Nós não sabíamos
Adrià Julià: Nem mesmo os mortos sobreviverão
Gravura e crítica social: 1925-1956
Abertura:
26/10/19, 11h
Visitação: até 16/02/2020; quarta a segunda, 10h-18h
Pinacoteca: Praça da Luz 2, São Paulo. Ingressos: R$ 10,00 (entrada); R$ 5,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha)