Em seus trabalhos, Teresa Berlinck elabora questões de representação do imaginário popular, misturando ícones, símbolos, narrativas ficcionais e realidade. Berlinck parte principalmente de uma pesquisa pictórica, produzindo desenhos, pinturas e gravuras. No entanto, essa investigação inicial também pode desdobrar-se em outros suportes, como em objetos e instalações, fotografia e projetos colaborativos que demandam a participação do público.

Uma vertente particularmente interessante desse desenvolvimento é um grupo de trabalhos que envolvem livros e publicações, originais e apropriados. No projeto “Livro Aberto”, de 2010, a artista realizou uma série de desenhos, intervenções e reedições usando livros de uma biblioteca que havia herdado. A coleção era composta principalmente de livros de sociologia e assuntos afins (até a década de 1970). Já em “Pai dos Burros”, Berlinck se apropria de um dicionário de 1962, utilizando suas páginas como suporte para desenhos que realiza a partir de imagens buscadas na internet – cada busca se inicia com o primeiro verbete da página sobre a qual o desenho será conduzido. Em outros trabalhos os livros ganham uma dimensão construtiva, física, como em “Quase Pausa”. A instalação foi construída a partir da desintegração e reedição de livros que vieram dessa herança, associando objetos e temas das publicações à suas formas, layout, cores, tamanhos.

Teresa Berlinck é graduada pela FAAP e mestre em Produção Teoria e Crítica em Artes Visuais. Já participou de mostras individuais e coletivas em diferentes instituições e galerias de arte. Atua como artista agente na concepção e organização de exposições e como ilustradora. Ministra aulas de desenho e arte desde 1994 em seu ateliê, em museus, centro culturais e escolas. Já coordenou cursos e oficinas em espaços como: MAM SP, Centro Cultural São Paulo, Oficinas Culturais do Estado de São Paulo, Faculdade Santa Marcelina, Escola São Paulo, SESC SP.

Compartilhar