34ª Bienal de São Paulo divulga novo calendário em meio à pandemia de Covid-19

A Fundação Bienal de São Paulo anunciou agora pouco (25/03) que alterará o cronograma da exposição em face dos desafios enfrentados por todo o mundo neste momento delicado de crise do coronavírus. Fruto de diálogos entre as diversas instâncias de governança da Fundação e a curadoria da exposição, o calendário da 34ª Bienal será alterado de modo a garantir a segurança dos visitantes, artistas e colaboradores.

A abertura da 34ª Bienal, inicialmente prevista para 5 de setembro, foi adiada para 3 de outubro de 2020, e a visitação foi estendida até 13 de dezembro. Além disso, as exposições de Clara Ianni e Deana Lawson, bem como as performances de León Ferrari e Hélio Oiticica, que aconteceriam entre abril e agosto, serão incorporadas à mostra coletiva.

Além da mostra prevista para o pavilhão da Bienal localizado no Parque Ibirapuera, o projeto também previa mostras, seminários, performances e ações públicas em diversas outras instituições parceiras neste ano de 2020. A Fundação afirmou que está em contato com essas instituições parceiras a fim de tentar manter, ao máximo, a rede de exposições paralelas planejada em conjunto com esses espaços. Mais informações sobre esse calendário serão divulgadas nas próximas semanas.

A Fundação também informou que as atividades de programação pública, em curso desde o final do ano passado, serão retomadas assim que possível. Enquanto isso, conteúdos da 34ª Bienal estão sendo compartilhados nas redes sociais da mostra, no site, e por meio de newsletters, incluindo as cartas abertas da equipe de curadoria. “A arte, com sua capacidade de estabelecer conexões e emocionar, é, agora, mais necessária do que nunca”, disse a Fundação nesse comunicado, informando que continua trabalhado remotamente para que a Bienal possa contribuir, de alguma forma, durante este momento difícil.