A letra é a traça da letra

Paço Imperial, Rio de Janeiro

No dia 21 de março, quarta-feira, às 18h30, a artista Helena Trindade abre a exposição “A letra é a traça da letra”, no Paço Imperial. Com curadoria de Glória Ferreira, a mostra apresenta cerca de 45 obras, entre objetos, instalações, fotos, esculturas e vídeos que ocupam as quatro salas do segundo pavimento da instituição. Haverá, ainda, uma performance realizada durante a abertura. Os trabalhos, a maior parte em grandes dimensões, são inéditos, muitos finalizados ainda este ano. As obras dialogam com a forte tradição brasileira em Poesia Visual, campo no qual a artista trabalha desde a década de 90.

“Existe no movimento que gera a linguagem um trabalho perpétuo de rearticulação que problematiza a questão da origem, uma vez que nesse processo nada se produz que não seja pela transformação”, escreve a artista. Na produção de Trindade, signos visuais e linguísticos se concentram na materialidade da letra, na tensão entre o enunciável e o visível. São muitas as letras e os abecedários presentes nas diversas instalações da mostra. “(…) O processo da artista avança, retroage e se transforma, com a invenção de um novo alfabeto”, resume a curadora.

“A letra é a traça da letra”
Curadoria: 
Glória Ferreira
Abertura: 21 de março de 2018, 18h30-22h
Visitação: até 27 de maio de 2018; terça a sexta, 12-19h; sábados e domingos, 12-18h
Paço Imperial: Praça XV de Novembro, 48, Centro, Rio de Janeiro. Entrada gratuita