Ana Carolina Ralston assina curadoria da individual de Ise

Com um olhar atento para a cidade, Ise inaugura a exposição individual “O que eu faço quando ninguém está olhando” na Praça das Artes

Tempo de leitura estimado: 2 minutos
Ise
21 de mim, de Ise

Inaugurada no dia 15 de dezembro na Praça das Artes, O que eu faço quando ninguém está olhando dá nome a individual do artista paulistano Ise, pseudônimo de Claudio Duarte. Com curadoria de Ana Carolina Ralston, a mostra apresenta uma série de pinturas, instalações e fotografias de pinturas urbanas realizadas pelo artista em suas andanças na urbe.  

Ise
Passageiros, de Ise

Autodidata, ISE desenvolveu nos muros da cidade o traço, a forma e a proporção de sua grafia, ao encontro de uma estética própria de São Paulo: o pixo. Levando a experiência da cidade para dentro do ateliê,  suas pinturas a óleo dão visibilidade aquilo que pode passar despercebido em meio ao caos e a desigualdade social da cidade.

Ise
Pressão da realidade, de Ise

Nas palavras da curadora, “Descontextualizado, peças simples e cotidianas ganham muitos significados e novas narrativas. Esse também é o caso de “Micro-ondas” (2021), site specific que ocupa o centro do espaço expositivo. A peça, composta por pneus empilhados e bomb, é o fragmento de um cenário visto por ISE nas ruas materializado, agora, na Praça das Artes. Ao redor da escultura estão dispostos monóculos com fotografias clicadas pelo artista, nas quais o espectador pode encontrar algumas vivências do autor que se tornaram pinturas. Tais momentos flutuam pela sala, como pensamentos extraviados de seu percurso comum”.

 Ise
Microondas, de Ise

O que eu faço quando ninguém está olhando

Local: Praça das Artes

Endereço: Av. São João, 281, São Paulo

Data: De 15 de dezembro a 21 de janeiro de 2022

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support