Artistas boicotam Whitney Biennial

Oito dos 74 artistas que compõem a mostra de 2019 da célebre Whitney Biennial pediram às curadoras da exposição que retirassem seus trabalhos. Korakrit Arunanondchai, Meriem Bennani, Nicole Eisenman, Nicholas Galanin, Eddie Arroyo, Agustina Woodgate, Christine Sun Kim, e o coletivo Forensic Architecture (conhecido por ter recebido o Turner Prize) pediram que seus trabalhos fossem removidos da exposição como forma de protesto – o vice presidente da Diretoria do museu é Warren Kander, que tem laços com a empresa Safariland, produtora de gás lacrimogênio usado contra imigrantes que pedem asilo nas fronteiras dos Estados Unidos.

A carta, publicada inicialmente na ArtForum, ganhou destaque em outros veículos, e a instituição afirmou que respeitará o pedido dos artistas e removerá as obras. “The Whitney respects the opinions of all the artists it exhibits and stands by their right to express themselves freely. While the Whitney is saddened by this decision, we will of course comply with the artists’ request.”