Artistas, que são indígenas, para ficar de olho

Conheça cinco artistas que fazem parte de diferentes etnias indígenas pelo Brasil

Jaider Esbell

Jaider Esbell, Pata Ewa’n – O coração do mundo, 2016

Jaider Esbell é artista visual, escritor e produtor cultural. Nasceu em Normandia, em Roraima, onde hoje é a Terra Indígena Raposa – Serra do Sol. Ele faz parte da etnia Makuxi. Ele sempre desenvolveu atividades ligadas à escrita e ao desenho. Seus trabalhos que mais se destacam utilizam a técnica de acrílica sobre tela. Neles, estão presentes temáticas como ancestralidade, memória, política global, o ser local, xamanismo visual e poder, dentre outros.

Arissana Pataxó

arissana pataxó
Arissana Pataxó, Sem título, 2009.

Arissana Pataxó Braz é artista plástica e arte-educadora. Ela trabalha com diferentes técnicas, de pintura a objetos, e também é professora. Natural de Porto Seguro, na Bahia, ela faz parte da comunidade indígena Pataxó. Em sua obra, desenvolve temáticas onde procura levar às pessoas conhecimento sobre a questão indígena no Brasil.

Denilson Baniwa

denilson baniwa “Natureza Morta 2”, 2017,
Denilson Baniwa, Natureza Morta 2, 2017.

Denilson Baniwa é um artista visual nascido na região do Rio Negro, no Amazonas, em terras da etnia Baniwa. Ele é um artista multidisciplinar, trabalhando com diversas técnicas, sendo elas gravuras, pinturas, desenhos, performances, dentre outras. Atualmente, ele vive e trabalha em Niterói, no Rio de Janeiro. Denilson foi o vencedor do prêmio PIPA Online 2019.

Ibã Huni Kuin

Ibã Huni Kuin, Nai Basa Masheri, 2014,

Ibã huni Kuin, ou Isaías Sales, é um artista que trabalha majoritariamente com a técnica de acrílica sobre tela. Nascido em Tarauacá, no Acre, onde vive e trabalha até hoje, ele é um faz parte do povo indígena huni kuin. Ele fundou, em 2013, o Movimento de Artistas Huni Kuin (MAHKU), coletivo de 12 artistas plásticos da etnia. Ibã é um txana, mestre dos cantos na tradição de seu povo.

Edgar Kanaykõ

Edgar Kanaykõ, Derruba o Toco II

O fotógrafo pertence ao povo indígena Xakriabá Estado, de Minas Gerais. Ele é É mestre em Antropologia pela UFMG e tem atuação livre na área de Etnofotografia: “um meio de registrar aspecto da cultura – a vida de um povo”. Ele utiliza a fotografia como ferramenta de luta, revelando ao mundo a realidade sobre os povos indígenas.