Acompanhamos nos últimos meses o fechamento de diversos locais que não se enquadravam no escopo “serviços essenciais” em tempos de pandemia. Isso porque é necessário conter aglomerações de pessoas para diminuir o risco de contágio pelo novo coronavírus. Os museus, centros culturais e galerias de arte estão na lista dos espaços que tiveram que ser fechados.

Com isso, a incerteza sobre quando museus e outros espaços dedicados à arte voltariam a abrir passou a tomar conta de quem costuma acompanhar o circuito de exposições e outros eventos. Para diminuir esta angústia, neste 18 de maio, Dia Internacional do Museu, apresentamos um levantamento que tem sido feito há semanas com previsões de reaberturas.

A iniciativa partiu da Mortice Consulting, uma empresa especializada em apoio em gestão de propriedades e instalações para aqueles que gerenciam Patrimônio Cultural. O diretor fundador da consultoria, Ben Melham, decidiu compartilhar em sua conta no Twitter uma planilha com os dados e informações que tem coletado a partir de informes dos museus e de notícias que têm sido divulgadas na imprensa. Muitas das informações chegam também de forma colaborativa, Ben tem recebido mensagens e e-mails de pessoas de todo o mundo compartilhando dados. Os dados têm sido atualizados semanalmente.

A Alte Pinakothek em Munique

Na versão 4 do arquivo, divulgada nesta segunda-feira, o Brasil figurou pela primeira vez, mas sem expectativa alguma de reabertura. Mas, calma, chegaremos lá!

Em alguns pontos dos EUA, como no Texas e no Alaska, os museus estão abertos desde o final do mês de abril. Isso também ocorre em museus da África do Sul, no geral, e nos museus estatais da China. Nas regiões alemãs da Turíngia e Bradenburgo, o mesmo acontece.

Em grandes cidades nas quais a visita a museus é atividade quase essencial, como Paris, a reabertura está programada para o mês de junho. Em outras cidades da França com menos fluxo de pessoas, pequenos museus já começaram a reabrir desde o dia 11 de maio. Um pouco antes, no dia 4 de maio, foi iniciada a reabertura dos espaços em Berlim, na Alemanha.

Museu Nacional da Coreia, em Seul

Na Itália, país que foi o epicentro do coronavírus no mês durante o mês de março e parte do mês de abril, a reabertura deve começar hoje, 18. Espanha, Portugal, Egito e Canadá também são países que estão marcados para reabertura total, em todas as regiões, nesta segunda-feira.

Na Ásia, também epicentro da crise, tendo ela começado na China, os museus ainda fazem movimentações tímidas para as aberturas. Apenas os museus estatais chineses reabriram por ora, além dos museus da Coreia do Sul.

É importante ressaltar que todos os espaços têm expressamente apontado medidas de segurança e proteção para que público possa adentrar as exposições. O arquivo também aponta se há as necessidades de redução no número de visitantes em salas por vez, a determinação do uso de máscaras, a apresentação de evidências de estado de saúde, o distanciamento social, dentre outros fatores.

É importante ficar atento ao significado de cada cor na tabela. Vermelho significa “fechado”, amarelo significa “reabertura planejada”, verde significa “aberto” e cinza significa que não há previsão.

Além disso, o Global Museum Reopening Tracker, como Melham apelidou a lista, traz algumas fontes de onde foram tiradas as informações sobre as reaberturas e comentários importantes sobre algumas delas.

Confira a tabela inteira abaixo. Salve em seu computador ou celular para zoom. Você também pode solicitar a versão em PDF para Melham através do e-mail: information@morticeconsulting.com

Na quarta-feira, 20 de maio, às 12h no horário de Brasília e 16h no horário de Londres, será realizado uma conversa na plataforma ZOOM para debater os casos e tendências que o levantamento aponta. Você pode se inscrever clicando aqui.

Compartilhar