Au diapason du monde

Fondation Louis Vuitton, Paris

Tempo de leitura estimado: 2 minutos

“Au diapason du monde” (ou “In tune with the world”) é uma grande mostra articulada a partir de obras escolhidas da Coleção da Fondation Louis Vuitton, em Paris. Desde 2014, quando o espaço da fundação (projetado por Frank Ghery) foi inaugurado em Paris, a instituição tem organizado diferentes mostras com recortes inovadores do acervo. “Au diapason do monde” revela uma nova seleção de artistas que trabalham em diferentes suportes, e reúne obras modernas e contemporâneas que, em sua maioria, nunca foram mostradas no espaço.

O projeto consiste em uma exposição sobre um tema específico, refletindo as questões atuais sobre o lugar que o homem ocupa no universo e os laços que o prendem ao seu entorno e ao mundo vivo, enfatizando as inter-conexões entre humanos, animais, plantas e mesmo objetos inanimados. O itinerário da mostra se organiza em torno de três sub-temas, cada um ocupando um andar expositivo: “Irradiances” (Irradiações, 1o andar); “Là, infiniment…” (Aqui, infinitamente…, térreo); “L’Homme qui chavire” (O homem que naufraga, piso da piscina).

“Irradiances”, refere-se aos feixes luminosos da obra de Dan Flavin, e agrega obras de variados suportes: pinturas, esculturas, vídeos e instalações. Cada trabalho lida com o diálogo contínuo entre homem e natureza, explorando como diferentes materiais e suas metamorfoses podem criar uma paisagem cósmica. Outros artistas na seção incluem Sigmar Polke, Matthew Barney, Pierre Huyghe, Yves Klein, Mark Bradford e Christian Boltanski. “Here, infinitely …” traz obras de Cyprien Gaillard, Wilhelm Sasnal e Adrián Villar Rojas, que partem de obras icônicas na história da arte para refletir sobre a dominação do homem ao longo da história e sobre seu potencial desaparecimento. Por fim, “The man who capsizes”, localizado no nível da piscina, exibe obras de Giovanni Anselmo, Maurizio Cattelan, Ian Cheng, Andrea Crespo, Alberto Giacometti, Dominique Gonzalez-Foerster, Pierre Huyghe, Yves Klein, Mark Leckey, Henri Matisse, Philippe Parreno, Bunny Rogers e Kiki Smith. A seleção é inspirada pelo corpo em todas as suas formas, das mais tangíveis às mais imaginárias, partindo do trabalho homônimo de Giacometti como mote.

 

Au diapason du monde
Curadoria: Suzanne Pagé, auxiliada por Angéline Scherf, Ludovic Delalande e Claire Staebler
Visitação: até 27/08/18; segunda, quarta e quinta, 11h-19h; sexta, 11h-21h; sábado e domingo, 11h-20h
Fondation Louis Vuitton: 8, Avenue du Mahatma Gandhi, Bois de Boulogne, Paris. Ingressos: €14 (inteira); €10 ou €5 (meia)

 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support