A 11ª Bienal de Berlim, que tem como curadores María Berríos, Renata Cervetto, Lisette Lagnado e Agustín Pérez Rubio, teria o início de sua programação principal no último sábado, 13 de junho, e seria estendida até setembro. Por conta da pandemia da Covid-19, as atividades (que incluem apresentações, residências, palestras, oficinas) foram adiadas e uma nova data de realização acaba de ser anunciada. Portanto, a bienal acontecerá entre os dias 5 de setembro a 1 de novembro de 2020. Os locais escolhidos como sedes para a programação são ExRotaprint, daadgalerie, Gropius Bau e o KW Institute for Contemporary Art.

Esta edição é precedida por três “experiências”, que têm acontecido desde o final de 2019. A exp. 1 foi realizada entre setembro e novembro, enquanto a exp. 2 ocorreu entre novembro de 2019 e fevereiro 2020. Já a exp. 3 teve que ser prorrogada. Ela começou em 22 de fevereiro e deveria ter sido finalizada em maio. Com as consequências da pandemia, foi interrompida e agora é retomada até 25 de julho.

Para a organização da Bienal, as atividades que já expunham diversos modos de solidariedade, fragilidade e resistência agora possuem um novo significado devido à pandemia e as desigualdades sociais que ela reforça e evidencia.

virginia de Medeiros, "Trem em Transe", 2019, video still, courtesy Virginia de Medeiros
Virginia de Medeiros, “Trem em Transe”, 2019. Cortesia da artista
Compartilhar