Cancelada no ano passado, FIAC realiza primeira edição online da feira neste início de março

De 4 a 7 de março, acontece a primeira edição em viewing room da feira, com a participação de 212 galerias de todo o mundo, incluindo as brasileiras Nara Roesler e Bergamin & Gomide

Xavier Veilhan, Vent Moderne nº 3, 2015. FOTO: Courtesy of the artist and Nara Roesler / Copyright Xavier Veilhan

Abriu para o público nesta quinta-feira, 4 de março, a primeira edição online da tradicional FIAC, a Foire Internationale d’Art Contemporain, que acontece anualmente em Paris! Ela acontece até o dia 7, na plataforma digital de viewing room que a feira desenvolveu junto à empresa Artlogic, reunindo 212 galerias de 28 países, dentre elas as brasileiras Nara Roesler e Bergamin & Gomide.

Em 2020, a organização do evento insistiu em manter a feira presencial para o mês de outubro, na crença de que a pandemia estaria controlada até lá, o que não ocorreu. Desta forma, o ano passado foi um ano sem FIAC! Para 2021, a FIAC tem data confirmada para 21 a 24 de outubro, no Grand Palais Ephémère, mas decidiu antecipar uma versão em viewing room! Confira aqui as feiras que acontecerão presencialmente neste ano.

Para a edição online, a galeria Nara Roesler, que tem sedes em São Paulo, Rio de Janeiro e Nova York, leva uma seleção de obras dos artistas Abraham Palatnik e Xavier Veilhan, colocando-os juntos pela primeira vez ao propor uma conversa entre eles. “Palatnik e Veilhan dialogam no uso de padrões e cortes como meio de desencadear a ilusão de ótica ou a sensação de movimento em peças que ecoam as estruturas formais umas das outras, e, em última análise, coincidem na incorporação de uma irradiação sem limites”, diz a galeria.

Glauco Rodrigues, Nossa Comida Abundante Está No 1 (from the Visão da Terra, a Lenda do Coati-Puru series), 1977. FOTO: Bergamin & Gomide / Copyright Glauco Rodrigues

Já a Bergamin & Gomide tem uma viewing room dedicada exclusivamente a trabalhos do artista brasileiro Glauco Rodrigues. A galeria apresenta uma mostra no artista em seu espaço em São Paulo, com encerramento no dia 5 de março, adiantado em razão do lockdown. Na apresentação da viewing room, a galeria justifica a escolha: “Em um momento de obscurantismo furioso; em que fomos prejudicados por uma crise política, econômica, moral, cultural e sanitária; em que o Brasil está sendo invadido por um patriotismo fácil que sequestrou nossos símbolos nacionais; (…), nada como o humor satírico e crítico do artista gaúcho que, com suas cores fortes, série de desenhos e fundo branco infinito, fez política pela arte”.

Além das já habituais visitas aos “estandes virtuais” das galerias, com acesso às informações das obras e contato direto com os representantes de cada uma, a feira convidou cinco curadores internacionais para que propusessem, cada um, uma seleção de obras apresentadas pelos expositores: Bernard Blistène, diretor do Musée National d’art Moderne, Centre Pompidou (Paris); Saim Demircan, curador e escritor (Nova York); Emma Lavigne, presidente da Palais de Tokyo (Paris); Jean de Loisy, diretor da Ecole nationale supérieure des Beaux Arts de Paris (Paris); e X Zhu-Nowell, curador assistente do Guggenheim (Nova York).