Confira 8 exposições imperdíveis no Rio de Janeiro

Cidade recebeu a ArtRio nesta semana, que se estende até domingo; circuito de exposições pela capital fluminense está cheio de mostras que você não pode perder

Em semana em que a cidade do Rio de Janeiro recebe a 11ª edição da feira de arte ArtRio, na Marina da Glória, exposições em diversas galerias, centros culturais e museus pela cidade recebem visitação. Na capital fluminense, para entrar nesses espaços, é necessária a apresentação de um comprovante de vacinação conta Covid-19, podendo ser físico ou digital.

Preparamos uma lista com algumas mostras que valem a sua visita, além das já citadas no nosso site, como Lygia Clark (1920-1988) 100 anos, na Pinakotheke Cultural; Brasilidade Pós-Modernismo, no CCBB Rio de Janeiro, e A memória é uma invenção, no MAM Rio.

Veja abaixo

Agrade Camíz, Cibelle Arcanjo, Herbert De Paz e Vinicius Gerheim, na A Gentil Carioca
Até 9 de outubro

Jabuticaba Olho de Boi, de Vinicius Gerheim

A Galeria A Gentil Carioca, que acabe de abrir também uma sede em São Paulo, recebe em seu espaço no Centro do Rio de Janeiro quatro exposições individuais de jovens artistas simultaneamente, sendo elas exposições de Agrade Camíz, Cibelle Arcanjo, Herbert De Paz e Vinicius Gerheim. Todas elas são as primeiras individuais que cada um deles realiza, mostrando trabalhos produzidos nos últimos anos.

Eu vim de lá, de Jota, no MT Projetos de Arte
Até 4 de outubro

Com curadoria de Pablo León de la Barra e apoio do MT Projetos de Arte, Jota inaugura primeira exposição individual, intitulada Eu vim de lá. Esta mostra reúne a produção do artista produzida entre 2020 e 2021, onde Jota retrata sua realidade imediata a partir da forma como enxerga o mundo, abordando os mais variados temas a partir de suas experiências no Complexo de Favelas do Chapadão. O título da exposição surge como inspiração da música de mesmo nome, do rapper Kyan, que fala sobre preconceitos e racismo estrutural presentes em nossa sociedade. Sua obra dedica-se à construção de narrativas sobre sua comunidade e o modo como enxerga a realidade, produzindo uma poética das suas experiências cotidianas à medida que seu corpo percorre o mundo. Em seu processo criativo, Jota busca construir uma crítica social contundente, objetivando o debate público acerca de temas que atravessam o dia a dia em nossa cidade.

Grande Circo Floresta, de Zé Carlos Garcia, na Galeria Portas Vilaseca
Até 30 de outubro

ZÉ CARLOS GARCIA, O bom cabrito não berra, 2021

Reunindo uma série inédita de objetos escultóricos feitos em madeira e amalgamados em diferentes aspectos, a mostra na Portas Vilaseca é resultado de mais de dois anos de trabalho e representa um mergulho que o artista sergipano radicado no Rio de Janeiro realizou em si mesmo, na sua história e na nossa realidade, trazendo à tona toda a ambiguidade da cultura brasileira. No seu itinerário artístico, Garcia estaria situado entre as obras do mestre Galdino e certos trabalhos de Tunga, passando pelo carnaval carioca, pela obra musical de Tom Zé e a obra iconográfica de Bosch.

Prêmio PIPA, no Paço Imperial
Até 20 de novembro

Obra de Randolpho Lamonier

Na galeria Terreiro e no pátio central do Paço Imperial, tem lugar a exposição dos quatro finalistas, anunciados, em decisão inédita, igualmente vencedores do Prêmio PIPA 2020: Gê Viana, Maxwell Alexandre, Randolpho Lamonier e Renata Felinto. Eles foram eleitos pelo Conselho do Prêmio, seguindo os parâmetros daquela edição: reconhecimento e trajetória consistente no circuito brasileiro da arte; o número de indicações; o portfólio e a página no site do PIPA, configurando uma premiação pelo conjunto da obra. São apresentados também trabalhos dos cinco Artistas Selecionados do Prêmio PIPA  2021: Castiel Vitorino, Denilson Baniwa, Ilê Sartuzi, Marcela Bonfim e Ventura Profana.

Dez anos depois, na Galeria Athena
Até 23 de outubro


André Griffo, INSTRUÇÕES PARA ADMINISTRAÇÃO DAS FAZENDAS IV, 2021

A mostra na Galeria Athena, como o título sugere, comemora uma década de atuação da Galeria Athena, no Rio de Janeiro. Trabalhos icônicos, ou mesmo inéditos, ocupam as duas salas expositivas (Cubo e Casa) com pinturas, instalação, fotografia, vídeo e esculturas. Participam os treze artistas atualmente representados: André Griffo, Débora Bolsoni, Desali, Frederico Filippi, Lais Myrrha, Laura Belém, Matheus Rocha Pitta, Rafael Alonso, Raquel Versieux, Rodrigo Bivar, Sonia Andrade, Vanderlei Lopes e Yuri Firmeza.

Mirantes, na Anita Schwartz Galeria de Arte
Até 29 de outubro

Lina Cruvinel, Sem título, 2019

Anita Schwartz Galeria de Arte apresenta a coletiva Mirantes, com curadoria de Fernanda Lopes. A exposição reúne obras de sete artistas que trabalham a partir de pinturas e desenhos em pequenos e grandes formatos. As artistas participantes desta mostra são Ana Sario, Bel Petri, Gabriela Machado, Julia Arbex, Lina Cruvinel, Renata De Bonis e Wanda Pimentel.

Desarmonia, de PV Dias, na Galeria Simone Cadinelli
Até 26 de novembro

PV Dias, Tríptico Rasurando Fidanza, 2021.

Acontece na Simone Cadinelli Arte Contemporânea a exposição Desarmonia, com trabalhos recentes e inéditos do artista PV Dias (Belém, 1994), em que faz uma crônica visual do movimento popular tecnobrega, com suas festas futuristas, e gigantescas aparelhagens cinéticas. O curador Aldones Nino destaca que “esta é a primeira exposição individual de PV Dias e está marcada pela presença pictórica”. Conhecido pelas intervenções digitais em fotografias de paisagens urbanas, como as cinco obras da série “Obras Cariocas”, que integraram a exposição “Casa Carioca” (MAR, setembro de 2020 a agosto de 2021), PV Dias mostrará pela primeira vez suas pinturas digitais, pinturas sobre papel e sobre tela, e animações. Estarão também na exposição intervenções sobre registros históricos do fotógrafo português Felipe Augusto Fidanza (c. 1847 – 1903), uma referência entre os que atuaram no Norte do Brasil no século 19 e no início do século 20.

DESMANCHE, na galeria Cavalo.
Até 2 de outubro

Janina McQuoid, Jacacarandá, 2017. (colaboração com Henrique Cutait)

Desde o início de agosto, a galeria Cavalo, localizada no bairro de Botafogo, sedia a exposição Desmanche, trazendo trabalhos das artistas Ana Clara Tito, Janina McQuoid, Marina Weffort e Sofia Caesar. No Espaço CAMA, em São Paulo, a galeria participa com obras de Eustáquio Neves na exposição coletiva Torso Pedra.