Curadoras apresentam leitura decolonial da arte

Idealizadoras da 0101Plataform ao lado do artista Moisés Patrício, Ana Beatriz Almeida, Camilla Campos e Keyna Eleison falam sobre poéticas diaspóricas no Brasil e mundo

Yinka Shonibare

Está interessada em aprender a fazer uma análise decolonial da arte? Então procure pelas curadoras Ana Beatriz Almeida, Camilla Campos e Keyna Eleison, da 0101 Plataform. Elas montaram um curso para ajudar interessados a entender poéticas diaspóricas entre artistas brasileiros e nomes importantes da América e África

No primeiro módulo, investigam a crítica decolonial a partir dos pilares epistemológicos do pensamento de ocidentalidade. Observa-se a arte em dinâmica com outras estruturas sociais e sua contribuição ética e estética na construção das desigualdades raciais, geográficas e de gênero. Em seguida, apresentam o mar como “Trânsitos, Hibridismos e Revoluções Contemporâneas” fazendo estudos de caso de modo a perceber suas crises e contribuições. 

Dona Cici
Belkis Ayon

Ao partir da noção “Mbemberiana do afropolitanismo”, como um exercício inovador de cidadania cujo objetivo é construir um “pensamento-mundo” capaz de propiciar um direito democrático de “herdar o mundo”, o terceiro módulo investiga iniciativas éticas e estéticas que pensem o mundo sob pontos de vista não hegemônicos. Para este momento, as curadoras convidam o tutor convidado João Simões com o intuito de abordar temáticas, produções e teorias GLBTQI+. No final do curso, os alunos desenvolvem uma pesquisa própria com planejamento institucional, embasamento conceitual e seleção de obras. 

Notícia boa: alunas afrodescendentes terão desconto.Para saber mais informações e participar, clique aqui.

Melvin Edwards
Antonio Obá