Escultor Maurino Araujo morre aos 77 anos, vítima de Covid-19

Tempo de leitura estimado: < 1 minuto

Na noite da última quarta-feira, 29/09, morreu em Minas Gerais o icônico escultor Mestre Maurino Araujo. Ele tinha 77 anos de idade e enfrentava, desde o ano passado, uma leucemia, que o deixou bastante debilitado. Maurino, porém, não faleceu da doença, mas sim por ter contraído o novo coronavírus, que evoluiu para um quadro grave de Covid-19.

O escultor começou a desenvolver trabalhos com madeira nos anos 60, vindo a se tornar um artista muito querido pelos amantes da arte popular após começar a exibir suas peças na famosa feira da Praça da Liberdade, na capital mineira.

Ele realizou diversas exposições pelo Brasil e pelo exterior, tendo exibido obras na Bienal de São Paulo, em 1976, e no II Festival de Arte e Cultura Negra da Nigéria, no ano seguinte. Suas obras compõem acervos de muitas instituições, como o Museu Afro Brasil, além de coleções privadas.

Mestre Maurino é mais uma vítima que a Covid-19 fez no circuito da arte brasileira, que já perdeu, dentre outros, o artista Abraham Palatnik, o colecionador Ricardo Brennand e a galerista Bia Perlingeiro desde abril.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support