Arte Decolonial, com Ana Beatriz Almeida, Keyna Eleison e Camila Rocha Campos – curso curto

4 de dez de 2020

Abordam-se movimentos revolucionários do final do ultimo século e inicio do XXI de modo a compreender suas influências nas produções artísticas. Igualmente são analisadas poéticas africanas e afro-diaspóricas e suas dinâmicas de interação e reconstrução.

Número de aulas: 4 encontros de uma hora

ESGOTADO – entre em contato para informações sobre as próximas turmas

Preço: R$655

 

Programação 

 Aula 1: Novas perspectivas sobre leituras de arte: um olhar anti-racista e anti-machista

Aula 2: Festak Fetival ( Arte Africana e Afrodiaspórica anos 70 e as independências)

Aula 3: Artistas Afro-diásporicos e Arte Afro- LGBTQI+ :universos de interpretação

Aula 4: Exibições Revolucionarias e como começar uma coleção consciente. ( Africa Remix e X Bienal de Berlin)

 

Sobre as Professoras

Ana Beatriz Almeida

Vive e trabalha em São Paulo, Brasil. Mestre em História e Estética da Arte pelo MAC / USP- Universidade de São Paulo. Co-fundadora da plataforma de arte 01.01, curadora, artista visual e historiadora da arte com foco nas manifestações africanas e da diáspora africana. Ela é professora do curso Black Feminism- Berkley University Summer Program Abroad e curadora convidada no Glasgow International 2020 (adiado para 2021 por causa da pandemia COVID – 19). No início de 2019 fez uma residência curatorial em Gana, Togo, Benin e Nigéria, na qual conseguiu se reconectar à parte de sua família que retornou ao Benin durante a escravidão. Ela trabalhou como pesquisadora na UNESCO de 2010-2014.

 

Keyna Eleison

Diretora Artística do MAM-RJ. Curadora, pesquisadora, herdeira Griot e xamãnica, narradora, cantora, cronista ancestral. Mestre em História da Arte e especialista em História da Arte e da Arquitetura pela PUC – Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro); bacharel em Filosofia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Membro da Comissão da Herança Africana para laureamento da região do Cais do Valongo como Patrimônio Mundial (UNESCO). Curadora da 10a. Bienal internacional de Arte SIART, na Bolivia. Atualmente cronista da revista Contemporary&, e Professora do Programa Gratuito de Ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro.

 

Camilla Rocha Campos

Born in Barbacena live and work in Rio de Janeiro. Camilla Rocha Campos is artist, teacher, researcher, writer and self-revolutionary.

Her artistic practice is collaborative, built through the contribution of people in contexts full of emotion and criticism. In this relational field Camilla proposes art and non-art experiences. She participates in seminars, talks and projects in Brazil and other countries, building and sharing aesthetic / artistic processes from non-hegemonic logics. In 2016, she was a resident artist at the CAPACETE International Program, in Rio de Janeiro, where since 2017 she has been the director. She holds a master’s degree in Art Theory and Criticism from the UERJ Arts Institute. She is currently teacher at Parque Lage Art School and at Maré Art School.

R$655,00

| Encerrado |