Exposição de Regina Vater ocupa três andares da Galeria Jaqueline Martins

“A Celebration for the GOoD Time” será a primeira a apresentar, considerando um mesmo contexto um recorte com trabalhos que Vater produziu ao longo dos anos 1980, 1990 e 2000

Tempo de leitura estimado: 2 minutos
Regina Vater, Nature morte, 1987-88

Depois de ocupar a Sala de Vídeo do MASP com alguns de seus vídeos mais icônicos, Regina Vater tem, a partir do dia 28 de agosto, sua segunda individual na Galeria Jaqueline Martins, em São Paulo. A exposição irá se debruçar sobre trabalhos icônicos de Vater, reunindo séries fotográficas e instalações de grande porte, ocupando os três andares do edifício da galeria no bairro da Vila Buarque.

A mostra A Celebration for the GOoD Time será a primeira a apresentar, considerando um mesmo contexto um recorte com trabalhos que Vater produziu ao longo dos anos 1980, 1990 e 2000. O título da exposição tem como inspiração um evento que a artista realizou em 1983 em Nova York, no Central Park. Um vídeo que documenta esse evento pode ser assistido neste link.

Regina Vater, Para um tempo de guerra, 1987. FOTO: Gui Gomes

Cargo (1992), uma das obras em exposição é uma instalação formada por uma série de caixas que fazem alusão a engradados de importação/exportação e foi feita como uma reflexão crítica no ano que foi comemorado 500 anos do descobrimento da América. Com penas coloridas compondo a obra, ela faz referência ao tráfico de animais e ao tráfico de culturas: “A própria geografia da Terra gerou várias e diferentes culturas portadoras de suas técnicas de sobrevivência, mas com a aproximações dos povos seja por viagens ou colonialismo, uma civilização importa a cultura da outra e vice-versa”.

Pontuando a importância da poesia como elemento constituinte da trajetória da artista, composta por um círculo de nove pedras iluminadas por um lampião central, a obra Lampião (2003) dá forma a um verso do poeta persa Al-Din Muhammad Hafiz, que diz: “O que falamos se transforma na casa onde habitamos”.

Regina Vater, Lampião, 2003

Já em Nature Mortes (1987-1992), uma série fotográfica, porcelanas, cristais e prataria (geralmente elementos usados na composição de obras do tipo natureza morta ) se transformam em espécies de receptáculos para matérias “nativas”, como plumas indígenas, conchas e peles de animais. A série propõe um pensamento acerca da “dualidade de evocar a fartura da natureza com o seu assassinato pelo consumo às vias do luxo e do desperdício”.

Regina Vater: A Celebration for the GOoD Time
Data: de 28 de agosto a 30 de outubro
Local: Galeria Jaqueline Martins (Rua Dr. Cesário Mota Jr, 443)
Mais informações: https://galeriajaquelinemartins.com.br/

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support