Franz Weissmann: o vazio como forma

Itaú Cultural, São Paulo

Tempo de leitura estimado: 2 minutos

O Itaú Cultural apresenta a obra magistral de Franz Weissmann (Knittelfeld, Áustria, 1911 – Rio de Janeiro, 2005), que ocupa todos os três andares do espaço expositivo da instituição. Com curadoria de Felipe Scovino e parceria do Instituto Franz Weissmann (IFW), a exposição “Franz Weissmann: o vazio como forma” se sustenta em cerca de 800 peças, organizadas não de maneira cronológica, mas de forma antológica. Em um dos pisos, estão as obras em maior escala. Desenhos, a passagem do figurativo para o abstrato, Amassados e cubos, em outro. Por fim, maquetes e estudos, linha do tempo e uma obra pública em realidade virtual ocupam o -2.

Franz Weissmann: o vazio como forma parte de um caráter reflexivo e acompanha, de ponta a ponta, o trabalho do artista desde a sua gênese: dos anos de 1940 e 1950, quando foi professor na Escola Guignard, até as suas últimas produções realizadas no começo do século 21, quando realizou a série de obras conhecidas como pinças e mondrianas, esculturas que invadiram o espaço público.

Franz Weissmann: o vazio como forma
Curadoria: 
Felipe Scovino
Abertura: 
27/11/19
Visitação: até 09/02/2020; terça a sexta, 09h-20h (permanência até 20h30); sábado e domingos, 11h-20h
Itaú Cultural: Avenida Paulista, 149, São Paulo. Entrada gratuita

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support