Galeria Movimento apresenta individual de Hal Wildson, no Rio

Intitulada Re-Utopya, a mostra acompanha um texto crítico de Divino Sobral e propõe um novo olhar à História do Brasil

Tempo de leitura estimado: 3 minutos
Obra de Hal Wildson para a mostra Re-Utopya, na Galeria Movimento.
Obra de Hal Wildson para a mostra Re-Utopya, na Galeria Movimento.

O artista Hal Wildson apresenta a sua individual Re-Utopya, na Galeria Movimento, no Rio de Janeiro, com texto crítico de Divino Sobral. Nascido na cidade de Aragarças, cidade goiana que margeia o Rio Araguaia, Wildson produz suas obras a partir das narrativas de seu povo e de sua cidade de origem, que sofreram abusos e violências e que foram deslegitimados pela “Marcha pelo Oeste”, decretada pelo então presidente Getúlio Vargas em 1940, com o objetivo de “popular” e “progredir” um “vazio demográfico” no país. 

Este vazio demográfico era populado por um povo enxergado como “não-civilizado”, o povo Xavante, a origem de Wildson. Com esta herança cultural, Wildson propõe então a sua própria Utopia, relendo e reescrevendo uma história mal contada. Com suas obras ele trabalha linguagens que permitam ao observador uma reflexão política que o leve a vislumbrar um lugar utópico. Para o crítico Divino Sobral, “a reinvenção do artista se dá olhando para o passado, buscando referências nos saberes da ancestralidade negra e indígena, nas formas de pensar a sociedade que sejam capazes de conduzir à reparação dos erros e dos equívocos cometidos pela civilização. É assim que tenciona fundar sua obra em uma utopia, um sonho de sociedade igualitária e justa”. 

Obra de Hal Wildson para a mostra Re-Utopya, na Galeria Movimento.

Ontem, dia 20 de julho, Wildson e a curadora e crítica Clarissa Diniz propuseram um debate crítico com o tema “Reflexões para um futuro possível”, com a mediação da curadora da Galeria Erika Nascimento. O debate discorreu sobre esta necessidade de retratar a história de uma forma diferente daquela que existem nos livros escolares e que permeiam o imaginário de muitos quando o assunto é o Brasil. 

Obra de Hal Wildson para a mostra Re-Utopya, na Galeria Movimento.

Na ocasião, Clarissa Diniz aproveitou para falar sobre o conceito de “Re-Utopia”, originado do termo “Utopia”, conceito originalmente apontado pelo pensador inglês do século XVI Thomas More e carregado por uma forte noção de colonialidade. Desta forma, nesta exposição o artista pretende apresentar uma releitura deste conceito, trazido ao universo e à realidade do aqui e agora no Brasil. Ainda, para Clarissa, ao colocar a letra Y no lugar da I, o artista propõe uma intervenção ainda mais profunda na palavra e no conceito. 

Ainda durante este evento, o NFT da videoarte “Reflorestar Nossa Gente” foi lançado pela plataforma Tropix. Parte do valor da venda será revertido para a aldeia Rio Silveira, da etnia Guarani Mbyá, no litoral de São Paulo.

Serviço:

Re-utopya

Local: Galeria Movimento 

Endereço: Rua dos Oitis, 15 – Gávea, Rio de Janeiro 

Data: Até 30 de julho de 2022

Funcionamento: Terça a Sexta das 11h às 19h, Sábados das 13h às 18h

Ingresso: Grátis

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support