Galerias de regiões diferentes se unem em exposição conjunta na Gallery Week em São Paulo

A mostra Diamante-Grafite-Carvão, tem curadoria de Fernando Mota e é uma iniciativa das galerias Karla Osorio (Brasília), Portas Vilaseca (Rio de Janeiro) e Sé (São Paulo)

Vista de Sem Título de Felipe Seixas, 2021

Em uma iniciativa conjunta, três galerias de estados diferentes do país se uniram para uma exposição inédita! As galerias Karla Osorio, de Brasília; Portas Vilaseca, do Rio de Janeiro, e , de São Paulo, realizam juntas Diamante-Grafite-Carvão, que tem curadoria de Fernando Mota e é realizada no Galpão do Espaço Fonte, na Vila Madalena, em São Paulo. A exposição tem início na semana do Gallery Week 2021 na cidade e estará aberta para o público até o dia 24 de julho. As três galerias participam também da SP-Arte Viewing Room, que pode ser visitada de forma virtual até o próximo domingo, 13 de junho.

Curador independente, Mota fez uma seleção de obras de três artistas de cada galeria, totalizando nove participantes. Para isso, ele partiu de uma proposta que considera trabalhos que abordem de certa forma “assuntos atemporais, operando como um laboratório de estudos para uma tradução artística experimental do universo químico e geológico em questão”, como escreve no texto do catálogo da mostra.

Daí o título Diamante-Grafite-Carvão, que se refere a três elementos da natureza que possuem o carbono como seu principal formador, os dois primeiros unicamente por átomos de carbono. É um convite para que o público adentre diálogos interdisciplinares, que consideram as ciências humanas e as ciências exatas, além da arte e da linguagem.



Desta maneira, fazem parte da exposição obras de Bené Fonteles, José Ivacy, Rodrigo Garcia Dutra (Galeria Karla Osorio); Felipe Seixas, Íris Helena e Raquel Nava (Portas Vilaseca), e Brisa Noronha, Daniel Fagus Kairoz  e Denise Alves-Rodrigues (Sé). Ainda no texto da mostra, o curador aponta que são várias as formas de interpretação possíveis para pensar as relações entre esses artistas. De acordo com ele, elas são “ora uma leitura mais plástica ligada à materialidade, à estética e à formação, ora relacionada à disposição dos trabalhos no espaço e ao dialogo presente entre eles, sendo possível levar tanto para um lado mais abstrato, adentrando um campo de ideias amplo e impermanente, quanto para uma análise física e sensorial; em ambos os casos é uma mostra em constante transformação”.

Brisa Noronha, Lasquinhas, 2021

Diamante – Grafite – Carvão
Curadoria de Fernando Mota
Data: 09 de junho a 24 de julho
Local: Espaço Fonte (Rua Mourato Coelho, 751 – Vila Madalena)