A Glac Edições acaba de lançar a segunda edição do “kit_kitsch”. O kit é constituído por exemplares de livros da editora e exemplares de obra de arte de um artista que dialogue com a proposta editorial. O primeiro contém a obra Queime depois de ler, de artista Jaime Lauriano, realizada em 2012, junto aos livros Império e Anonimato: materiais preliminares às insurreições, organizada pelo programa Cidadãos, Voltem Pra Casa! #1, e Chamada: imaginação radical do presente, escrito por autores anônimos. 

Agora, para o kit_kitsch #2, a editora une aos seus mais recentes lançamentos, Um habitar mais forte que a metrópole, de Conselho Noturno, e Um piano nas barricadas: por uma história da Autonomia, Itália 1970, de Marcello Tarì, a obra Enquanto a noite dura, da artista Lais Myrrha. As unidades são limitadas.

“Enquanto a noite dura, é imprescindível ater-nos aos pequenos gestos, dedicar-nos a jogos, brincadeiras e a procurar encantamentos nos afazeres rotineiros”, pontua a artista numa espécie de “modo de usar” em uma etiqueta de nylon refinado que está na obra, composta por guarda-chuva preto, borrifador de vidro e fio encerado preto.

O trabalho é inédito, tendo sido realizado especialmente para o projeto da GLAC. Em nota escrita pela curadora Carolina Lauriano e que compõe o certificado de aquisição do kit, uma frase resume bem como os livros e a obra conversam entre si: “Se, por um lado estamos vivendo o ápice da crise das grandes metrópoles, da globalização e do capitalismo – que tem provado ser cada vez mais insustentável –, por outro, a experiência da disputa pela narrativa territorial nunca esteve tão acirrada”.

O kit_kitsch #2 já está disponível para compra no site da GLAC.

Compartilhar