Irmãos Campana participam de tributo a Giuseppe Arcimboldo na França

Coletiva no Centre Pompidou-Metz reúne ainda artistas como Cindy Sherman, Francis Bacon. Marcel Duchamp, Salvador Dalí e até a dupla musical Daft Punk; em cartaz até 22 de novembro

Uma conversa entre a diretora do Centre Pompidou-Metz, Anne Horvath, e o artista Maurizio Cattelan foi o ponto de partida para uma exposição bastante especial que acontece agora na instituição localizada na França, um tributo ao célebre pintor italiano Giuseppe Arcimboldo! Para esta mostra, foram convidados artistas de diferentes lugares do mundo e entre eles estão os brasileiros Irmãos Campana, que têm quatro obras e uma instalação na exposição-homenagem. Sob o título Arcimboldo Face to Face, a mostra fica em cartaz até o dia 22 de novembro.

Giuseppe Arcimboldo, Le Printemps, 1573. Huile sur toile, 76 x 63,5 cm Paris, musée du Louvre Photo © RMN-Grand Palais (musée du Louvre) / Jean-Gilles Berizzi

São ao todo 250 obras de 130 artistas. Participam ainda nomes como Anete Messager, Cindy Sherman, Francis Bacon, Max Ernst, Giorgio de Chirico, Wolfgang Tillmans, Marcel Duchamp, Salvador Dalí e até a dupla musical Daft Punk! A exposição mostra como o trabalho de Arcimboldo tem influenciado a história da arte por cinco séculos e lança luz sobre uma série de debates filosóficos e políticos atuais, além de dialogar com diversas obras ao longo dos anos.

Os Campana são os únicos brasileiros com trabalhos na mostra, sendo que a instalação Surveillance foi comissionada para a mostra. “Encontramos muitas maneiras semelhantes de transformar o mundo que observamos. Arcimboldo Face to Face conecta arte e vida cotidiana por meio de natureza, da mesma forma que fazemos com os materiais e referências que usamos para nossas peças. Ao mesmo tempo que os ressignificamos, preservamos sua identidade, provocando o público a interpretar as muitas camadas que apresentamos em nosso trabalho”, comenta Humberto.

Além da participação nesta exposição, os Irmãos Campana acabam de lançar um livro que retrata a exposição que realizaram em 2020 no MAM-Rio, que teve curadoria de Francesca Alfano Miglietti. A publicação de 248 páginas em formato “coffee-table” é intitulada Irmãos Campana: 35 Revoluções e também é uma comemoração dos 35 anos de carreira da dupla. Além de um passeio pela trajetória dos Campana, o livro traz retratos inéditos de Fernando e Humberto feitos por Bob Wolfenson e contribuições escritas de nomes como Adriana Calcanhotto (cantora e compositora), Anne-France Berthelon (jornalista, crítica e curadora de design), Cristina Morozzi (jornalista, crítica e curadora de design), Emanuela Nobile Mino (crítica e curadora de arte e design), Maria Cristina Didero (autora e curadora de design), Mateo Kries (diretor do Vitra Design Museum), Stefano Boeri (presidente da Trienale de Milão).