Livros AQA: Francis Bacon

Novo livro sobre Francis Bacon retoma discussões acerca do caráter duvidoso de algumas obras do artista nas coleções de amigos

Francis Bacon
Francis Bacon: Shadows

Editado por Martin Harrison, autor de Francis Bacon: Catalog Raisonné de 2016, o livro Francis Bacon: Shadows explora a produção e a vida do pintor irlandês Francis Bacon (1909-1992) por meio de perspectivas amplamente variadas. O livro contém seis ensaios sobre diversos tópicos, tanto interpretativos quanto factuais, que juntos apresentam uma ampla gama de novas ideias sobre o artista. Entretanto, o que se destaca na leitura é a polêmica sobre a originalidade das obras que o escritor canadense Barry Joule possui do artista.

Uma vez mais, a originalidade de algumas das obras de Francis Bacon voltam a ser tema. Para quem não se lembra, em 2014 a instituição cultural paulistana Paço das Artes apresentou uma exposição com 35 desenhos do artista presentes na coleção do italiano Cristiano Lovatelli Ravarino. Provocando polêmica por onde passou, a exposição foi questionada sobre a autenticidade das obras. Agora, a bola da vez parece ser Barry Joule, que como Cristiano Lovatelli Ravarino, também foi amigo do artista.

O livro apresenta um capítulo dedicado ao The Barry Joule Archive – BJA, escrito pela arquivista da coleção do espólio do artista, Sophie Pretorius. Neste, ela menciona, “A história do material associado a Joule é crivada de exageros, meias-verdades e contradições … A obra de Bacon não é fácil de imitar. Mas o autor dos itens no BJA tentou fazer isso”.

Francis Bacon
Barry Joule e Francis Bacon no ateliê do artista em Londres, março de 1986. Foto de Barry Joule

Barry Joule diz não estar surpreso com os ataques, já que eles apenas levantaram dúvidas sobre sua coleção depois que ele recusou o pedido de 1998 para doá-la ao Bacon Study Centre na Hugh Lane Gallery, em Dublin. Nas palavras de Joule, “John Edwards (ex-companheiro e herdeiro de Francis Bacon) exigiu que eu doasse minha coleção para Hugh Lane em junho de 1998 e, se não o fizesse, estaria fora da propriedade ou da família de Bacon … Disse a ele que meu plano era doar para a Tate e, um mês depois, o espólio me enviou uma carta do advogado exigindo a devolução (dos desenhos) … Se eles pensavam que eram falsos, por que exigiriam a devolução?”.

Francis Bacon
1 dos 1.200 desenhos, fotografias e documentos de Francis Bacon doados para o Tate em 2004 por Barry Joule. Foto de Barry Joule

Francis Bacon é um dos artistas mais célebres do século XX e não é de se estranhar tanta polêmica entrono de sua obra. Estas e outras histórias sobre a obra e a vida do artista estão no livro Francis Bacon: Shadows. Aliás, na semana passada, uma pintura do artista de 1958 obteve maior preço no leilão Phillips, em Nova Iorque. A pintura, que retrata um Papa com duas corujas, atingiu o lance de 33 milhões de dólares, superando a estimativa 30 milhões de dólares. O que nos faz pensar, quem não gostaria de ter um trabalho de Francis Bacon em sua coleção?