Lorna Simpson
Solar Glare, Lorna Simpson

“Nem a noção de fragmentação, especialmente do corpo, é predominante em nossa cultura, e se reflete em meus trabalhos. Estamos fragmentados não apenas em termos de como a sociedade regula nossos corpos, mas na maneira como pensamos sobre nós mesmos”, relatou a americana Lorna Simpson conhecida por criar fotocolagem que levantaram questões sobre a natureza da representação, identidade, gênero, raça e história. 

Lorna Simpson
Lorna Simpson
Lorna Simpson
Flames, Lorna Simpson

Give Me Some Moments, exposição online na galeria Hauser & Wirth, traz novos trabalhos de Simpson com cenas poéticas, fascinantes e algumas vezes com ares  apocalípticos. As colagens apresentam uma série de corpos femininos e masculinos no centro das composições que são cortados ou invadidos por arquiteturas, animais e elementos naturais. 

Lorna Simpson
*Adornment, Lorna Simpson
Lorna Simpson
Lyra night sky styled in NYC, Lorna Simpson


Em algumas colagens ela usa os dispositivos de extremos cortes e close-ups para aprimorar as seções dos corpos retratados.  Algumas obras do ano passado também fazem parte da mostra: em Flames Simpson insere nas cabeças das mulheres cenas de prédios em chamas no lugar de perucas com penteados elaborados, enquanto em Califórnia ela entrelaça material de origem geológica de um livro de 1931 com cenário doméstico, incentivando novas narrativas a emergir de cenários inesperados. Entre as obras produzidas durante essa quarentena, vale notar Solar Glare, Walk with Me e Lyra night sky styled in NYC . Numa maré oposta ao mundo da arte atual que valoriza cada vez mais a produção digital, Simpson continua o processo de colagem de forma analógica, recortando e colando diretamente as revistas Ebony, resultando em narrativas surreais. 

Lorna Simpson
Solar, Lorna Simpson
Lorna Simpson
Cowboy, Lorna Simpson
Walk with me
Walk with me

Em tempo: Assim como foi feito na exposição online do George Condo, a Hauser & Wirth doará 10% dos lucros de exposições on-line ao fundo de resposta de solidariedade COVID-19 para a WHO. A ação faz parte de uma iniciativa filantrópica do #artforbetter.

Compartilhar