Luciana Brito abre individual de Bosco Sodi

Artista mexicano se interessa pelas imperfeições, passagem do tempo e transformação da matéria a partir de casualidades e imprevistos

Tempo de leitura estimado: 4 minutos
Bosco Sodi
Bosco Sodi na galeria Luciana Brito

O artista mexicano Bosco Sodi se conectou há algum tempo com a “Wabi Sabi”. Trata-se de uma filosofia oriental um tanto complexa para explicar aqui em poucas palavras, mas basicamente ela defende a vida e a estética que aceita a transitoriedade e a imperfeição. Com base nessa ideia, o artista vem trabalhando, ao longo dos últimos anos, a partir da materialidade e da passagem do tempo. Suas obras expostas na mostra  Curved Surfaces, na Luciana Brito Galeria, nos instigam, portanto, a pensar sobre  a relação entre arte, sustentabilidade e sociedade. 

Interessado pela potencialidade dos materiais de origem natural e dos conceitos e valores tradicionais la- tino-americanos, Sodi conta que começou a fazer aulas de arte porque tinha dislexia, déficit de atenção e era hiperativo. “Para mim é muito importante tocar nesses materiais. Mexer com o barro era a única coisa que me acalmava. Arte sempre foi uma terapia para mim e por isso sempre fiquei mais envolvido pelo processo do que pelo resultado final”, explicou o artista em entrevista exclusiva ao AQA. 

Bosco Sodi_
Perfect Bodies, de Bosco Sodi

Muito provavelmente foi dessa experiência na infância que surgiram suas já famosas Perfect Bodies, esferas produzidas a partir de blocos de argila extraídos do solo de Puerto Escondido, em Oaxaca, no México, onde o artista nasceu, mantém a Casa Wabi – residencia artistíca que recebe criativos de todo o mundo.. “É um lugar para promover a integração entre a criação, a matéria e a natureza. E a única obrigatoriedade é que o artista faça um projeto que envolva a comunidade local, explica o artista. “Perfeitamente imperfeitas”, as esculturas são moldadas pelas mãos do artista, para então sofrerem um processo natural de maturação por meio da secagem na sombra e no sol, além da queima em forno rústico criado pelo próprio artista. A ideia é trabalhar com a imprevisibilidade, descontrole e acaso. 

Bosco explica, ainda, que esse seu encanto pelo barro pode ser explicado pelo fato do material trabalhado reunir os quatro elementos da natureza – água, terra, fogo e ar. “ Isso faz com que seja uma matéria conectada diretamente com a essência do ser humano”, resume Bosco. Ao sugerir formas geométricas para um elemento tão orgânico, o artista acaba  propondo uma contraposição, uma fricção. Há, aqui, uma ligação forte com movimentos fortes dos anos 1960 como o Minimalismo americano, a Land Art.

Bosco Sodi
Bosco Sodi
Bosco Sodi
Bosco Sodi

A mostra apresenta, ainda, duas pinturas texturizadas inéditas, realizadas com materiais orgânicos e pigmentos naturais, a partir de processos ininterruptos do artista.  As pinturas acabam assimilando também as casualidades e transformações causadas pelo tempo e pela exposição aos fenômenos naturais, tornando-se, cada qual, únicas. 

Sun Paintings e Moon Sack Paintings, de Bosco Sodi
Sun Paintings e Moon Sack Paintings, de Bosco Sodi

Durante a pandemia, o artista se refugiou na Casa Wabi, onde depois de algum tempo não havia mais materiais para pintar. Ao observar a chegada de comida em grandes sacos de juta, Bosco subverteu a lógica da arte tradicional e começou a pintar as fases da lua e do sol – que podia acompanhar naquele lugar paradisíaco. Nasceram, assim, as séries Sun Paintings e Moon Sack Paintings, também presentes na exposição, que ainda carregam o aroma das pimentas que chegaram em Oaxaca. 

Bosco Sodi
Bosco Sodi
Bosco Sodi
Bosco Sodi

Bosco acabou recuperando, com este gesto,  as diretrizes da Arte Povera: criar com materiais “pobres”, que estão ao alcance das mãos ,para instigar o próprio sistema e mercado de arte. “É interessante pensar que a Arte Povera nasceu no pós-guerra, quando o mundo vivia grandes incertezas e uma miséria avassaladora. Sinto que o mesmo aconteceu com essa pandemia. Então, precisamos criar com o que temos”, reflete. 

Bosco Sodi
Bosco Sodi

Curved Surfaces

Data: Até 14 de maio

Local: Luciana Brito Galeria

Endereço: Av. Nove de Julho, 5162 – Jardim Europa, São Paulo

Funcionamento: segunda, de 10hrs às18hrs; terça à sexta, de 12h às 19h; e, aos sábados, das 11h às 17h

Ingresso: Grátis

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support