A partir de abril de 2020, Marcelo Araujo assumirá o posto de superintendente-executivo do Instituto Moreira Salles no lugar de Flávio Pinheiro, no cargo há mais de onze anos, que deixa a instituição em maio do próximo ano. Até março, Araujo cumprirá compromissos profissionais com a Japan House, instituição que dirige desde outubro de 2018. Com sua chegada, completa-se uma transição na vida do IMS iniciada com a nomeação, em agosto de 2019, de João Fernandes, até então sub-diretor do Museu Reina Sofia de Madri, para o cargo de Diretor Artístico.

Marcelo Araujo e João Fernandes ficam em São Paulo, dividindo o tempo de trabalho com presenças constantes no Rio de Janeiro, onde se situa há 20 anos um importante centro cultural do IMS e onde estão localizados todos os seus acervos, e em Poços de Caldas, onde o Instituto nasceu em 1992.

Marcelo Araujo tem larga e vitoriosa experiência como gestor de instituições culturais. Foi diretor do Museu Lasar Segall, da Pinacoteca de São Paulo, ocupou o cargo de Secretário de Cultura do Estado de São Paulo, presidiu o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e, finalmente, ocupou a direção da Japan House. É graduado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (1978), pós-graduado em Museologia pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1983), e Doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é membro do Conselho Executivo da Fundação Bienal de São Paulo, onde ocupa o cargo de primeiro vice-presidente da diretoria executiva, e participa do Real Patronato do Museu Centro de Artes Reina Sofia, em Madri.

Compartilhar