Marepe: Estranhamente Comum

Pina Estação, São Paulo

A Pinacoteca de São Paulo apresenta a exposição Marepe: estranhamente comum. Com curadoria de Pedro Nery, curador do museu, trata-se da primeira grande exposição individual do artista baiano em São Paulo que propõe oferecer uma visão abrangente de sua trajetória, iniciada na década de 1990. O conjunto de 30 obras evoca poeticamente uma memória pessoal que se entrelaça à sua cidade natal. A exposição tem patrocínio do Credit Suisse e Engeform e apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e Pro-mac.

Marepe (Marcos Reis Peixoto) nasceu na cidade de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, em 1970. Situada a leste da Baia de Todos os Santos, conecta o sertão ao mar, tornando-se importante eixo por onde passam as mais diversas mercadorias, de materiais de construção a alimentos. A partir desse vai-e-vem de objetos e pessoas, além da própria história familiar, o artista extrai e elabora suas obras.

No processo, Marepe se vale de procedimentos recorrentes da arte contemporânea como o acúmulo e a retirada de objetos de suas funções cotidianas. No entanto, suas obras sugerem dimensões especulativas, alterando a escala, a forma e significado de materiais encontrados ali, para daí criar peças oníricas. Para organizar sua retrospectiva na Pinacoteca, a curadoria destacou três verbos, ou atos simbólicos, aos quais o artista recorre com constância em sua trajetória: mover, transformar e condensar.

Marepe: Estranhamente Comum
Curadoria: Pedro Nery
Abertura: 27/07/19, 11h
Visitação: até 28/10/19; quarta a segunda, 10h-17h30 (permanência até 18h)
Pina Estação: Largo General Osório, 66, São Paulo. Entrada gratuita.