Memorias del Subdesarrollo: El giro descolonial en el arte de América Latina, 1960–1985

Museo Jumex, Cidade do México

O Museo Jumex apresenta a exposição Memorias del subdesarrollo: El giro descolonial en el arte de América Latina, 1960–1985. A mostra examina uma importante mudança de paradigma na cultura e nas artes visuais da América Latina, entre o início dos anos 1960 e meados dos anos 1980. Este deslocamento se caracterizou pela articulação de uma contra-narrativa à retórica desenvolvimentista, revelando os pensamentos descoloniais nas práticas artísticas que emergiam na região durante o período. Intelectuais e artistas ecoavam as críticas que vinham do campo da economia política, questionando os modelos culturais e estéticos impostos. Distanciavam-se, assim, dos cânones e do vocabulário formal da modernidade, incorporando os saberes locais e expressões populares e vernaculares às suas produções. A mostra tem a presença de brasileiros importantes domo Hélio Oiticica, Lygia Pape e Lina Bo Bardi, entre outros.

Memorias del subdesarrollo foi organizada pelo Museum of Contemporary Art San Diego (MCASD), em parceria com o Museo Jumex e com o Museo de Arte de Lima. Concebida por Julieta González, diretora artística do Jumex, contou com a assistência de Kathryn Kanjo, Sharon Lerner, Jacopo Crivelli Visconti, Anthony Graham e Jenna Jacobs.

Memorias del subdesarrollo: El giro descolonial en el arte de América Latina, 1960–1985
Visitação: 
22/03 a 09/09; terça a domingo, 11-20h
Museo Jumex: Blvd. Miguel de Cervantes Saavedra, 303, Colonia Granada, 11520 Ciudad de México; Público geral – $50 pesos; Público nacional – $30 pesos; entrada gratuita a menores de 15 anos, estudantes, professores e idosos, e também aos domingos.