Começa na semana que vem, a partir do dia 01/12, a semana mais esperada das artes em Miami! O ARTEQUEACONTECE já está esquentando os motores para a cobertura da Miami Art Week, com o nosso roteiro de museus no ar. Agora, preparamos para vocês a lista das galerias brasileiras que estarão pela cidade! Além da gigante Art Basel Miami, outras feiras interessantes e descoladas se espalham por lá. Confira aqui o que o Brasil vai mostrar de melhor durante a Miami Art Week!

 

Art Basel Miami Beach

Entre 5 e 8/12, a maior e mais importante feira recebe mais de 270 expositores, incluindo 16 galerias brasileiras, parte delas concentradas no principal setor, Galleries.

A Gentil Carioca, no booth B19, apresenta diversos trabalhos de Aleta Valente, artista carioca que estreia na feira de Miami.

A Luciana Brito Galeria leva para Miami uma seleção de belas obras geométricas de Geraldo de Barros e de coloridos trabalhos do artista e escritor Augusto de Campos que fazem uso da linguagem. Ademais, em parceria com a galeria Jaqueline Martins, o estande D30 também terá obras de Robert Barry e Lydia Okumura. Esta é a primeira vez na história da feira que duas galerias dividem um estande na seção principal do evento com um projeto colaborativo

Já a Bergamin & Gomide apresenta um estande com diversos nomes históricos da arte brasileira, incluindo Lygia Clark, Anna Maria Maiolino, Tunga, Montez Magno e Paulo Roberto Leal, além do contemporâneo Marcelo Cipis.

Ocupando o número G28, a Casa Triângulo traz uma seleção de artistas que exploram suportes variados: AVAF, Rodolfo Parigi, Max Gómez Canle e Mariana Palma, na pintura; e Ascânio e Stephen Dean, com objetos tridimensionais e esculturas.

A Dan Galeria, com foco no modernismo e arte concreta brasileira, traz obras históricas de Lygia Clark, Ferreira Gullar e Amílcar de Castro. Mas, este ano também será possível encontrar belos exemplares de arte latino-americana com Cruz-Diez e Jesús Rafael Soto!

Fortes D’Aloia & Gabriel apostou um projeto solo de Leda Catunda! Ocupando o estande C25, teremos uma seleção abrangente de pinturas e colagens recentes da artista. São trabalhos de média e grande dimensão, incluindo as icônicas línguas em tecido tão características de Catunda.

A Galeria Leme apresenta obras de 4 artistas que tratam da identidade brasileira, com destaque para Thiago Martins de Mello, com impactantes pinturas sobre o passado colonial e nativo das Américas; e Jaime Lauriano, com tecidos que refletem sobre o genocídio da escravidão.

Já a Mendes Wood DM apresenta no estande F15 uma seleção abrangente dos artistas que representa, tanto nos suportes quanto nas gerações. De um lado, temos obras recentes de uma geração mais jovem, com Paloma Bosquê, Mimi Lauter e Paulo Nimer Pjota. Depois, obras recentes de nomes consolidados, com Fernando Marques, Paulo Monteiro, Solange Pessoa e Sonia Gomes. E, por fim, as incomparáveis pinturas de Rubem Valentim.

Além do setor Galleries, no estande B10, a Galeria Nara Roesler também marca presença no setor Meridians, com uma imensa escultura de Artur Lescher, e no setor Kabinett, com obras de Tomie Ohtake – uma área separada dentro do estande principal da galeria. O booth também apresenta obras dos brasileiros Bruno Dunley, Carlito Carvalhosa, Fabio Miguez, Cao Guimarães, Karin Lambrecht, Vik Muniz, Sergio Sister Daniel Senise e Raul Mourão; e dos estrangeiros Isaac Julien e Philippe Decrauzat.

Ocupando o estande D20, a Galeria Luisa Strina traz importantes nomes da arte brasileira como Marcius Galan, Laura Lima, Marepe, Alexandre da Cunha, Fernanda Gomes e Caetano de Almeida, com destaque para obras históricas de Cildo Meireles – desenhos do início da carreira do artista, de séries que podem ser vistas em sua retrospectiva no Sesc Pompéia.

Já a Simões de Assis Galeria de Arte também ocupa um estande no setor principal, participando também da seção Kabinett. De um lado temos obras de Niobe Xandó, e de outro uma seleção de trabalhos de Marina Weffort, Alfredo Volpi, Cícero Dias e Carmelo Arden Quin.

E a Galeria Vermelho, no estande C32, apresenta obras de Lia Chaia, Ana Maria Tavares, Marcelo Moscheta, André Komatsu, além dos estranhos e intrigantes objetos de Edgard de Souza.

No setor Nova – criado para receber galerias que apresentam obras de 1, 2 ou 3 artistas –, a carioca Anita Schwartz Galeria de Arte traz esculturas e instalações do artista Paulo Vivacqua.

E no setor Survey, que traz pesquisas históricas, a paulistana Almeida & Dale apresenta obras de Tarsila do Amaral.

Por fim, no setor Positions – que traz novos talentos em estandes monográficos – a Galeria Marília Razuk apresenta um projeto solo de Vanderlei Lopes.

 

UNTITLED

A Untitled é conhecida por ser uma feira com nomes jovens, tanto nas galerias quanto nos artistas que apresenta. Este ano, 3 brasileiras participam da feira.

Eduardo Fernandes traz um estande com exposição curada, articulando dois nomes representados – a colombiana Luz Lizarazo, com desenhos e uma grande instalação central no estande, e o paraibano Sergio Lucena, com pinturas inéditas.

A carioca Portas Vilaseca traz uma seleção solo de obras de Iris Helena, que expande noções de fotografia em diferentes suportes.

E a paulistana Zipper também aposta em um formato solo booth, trazendo obras tridimensionais e instalações de Camille Kachani.

 

PINTA

A PINTA tem como foco a arte produzida na América Latina, e em geral, é também uma porta de entrada para galerias brasileiras que querem estar em Miami durante a Art Week. Este ano, a feira tem a participação das brasileiras Clima Art Gallery, Gaby Indio da Costa Arte Contemporânea, AM Galeria e Janaina Torres Galeria, além da participação do artista Tulio Pinto como convidado especial da feira.

Compartilhar