ONG lança fundo de emergência para cena artística de Beirute

As explosões que ocorreram no porto de Beirute, capital do Líbano, no dia 4 de agosto, deixaram a cidade devastada, com mais de 100 mortos e milhares de feridos. A região onde o porto é localizado é um espaço que vinha sofrendo um processo de gentrificação nos últimos anos. Ali, algumas galerias de arte foram fixadas, bem como ateliês de artistas, espaços culturais e espaços compartilhados, sendo um polo muito importante para a comunidade artística.

Imagem da Galeria Sfeir-Semler. Reprodução/Instagram

A destruição causada pelos recentes acontecimentos na cidade é incalculável em todos os aspectos. Além disso, o país que tinha o coronavírus “sob controle” agora vê os casos de contágio aumentarem na última semana. Várias ajudas humanitárias chegaram de outros países, também doações de pessoas físicas e de ONGs. O Líbano já passava por uma crise econômica muito forte, o que culminou também em uma crise política, que têm causado protestos violentos há alguns meses.

Museu Sursock, Galeria Tanit, a Marfa Contemporary Art Projects e a Galeria Sfeir-Semler, dentre outros, tiverem seus espaços muito danificados, além de terem perdido muitas obras, algumas foram completamente destruídas. Na Tanit, nada ficou no lugar na exposição Remains of The Last Red Rose, do artista Abed Al Kadiri. O Museu Nacional de Beirute, que fica um pouco mais afastado do local, também sofreu danos.

Imagem da galeria Tanit. Reprodução/Instagram

Pensando especificamente no cenário artístico da cidade, uma ONG liderada pelo célebre artista contemporâneo libanês Walid Raad lançou um fundo emergencial para ajudar os artistas baseados na capital libanesa, o Beirut Art Fund. A Mophradat é uma organização não-governamental sem fins lucrativos que tem sede em Bruxelas, na Bélgica, e que já tem como objetivo há alguns anos criar oportunidades para artistas do mundo árabe. “Estamos buscando aqueles que já nos conhecem e confiam em nosso compromisso de distribuir os fundos de maneiras transparentes e flexíveis (tendo em mente o colapso do sistema financeiro e bancário do Líbano)”, diz o comunicado no site da Mophradat.

Há várias formas de doar para o Beirut Art Fund. O doador pode, inclusive, escolher para qual espaço, iniciativa ou instituição quer destinar a quantia oferecida. Confira essas opções clicando aqui.

Imagem do Museu Sursock. Reprodução/Instagram

Outra iniciativa que visa ajudar a cidade, a Art Relief 4 Beirut foi criada pelo artista Mohamad Kanaan para arrecadar fundos para organizações que estão ajudando Beirute. O projeto está recebendo doações de obras de arte, de artistas e de galerias, para vender. O dinheiro arrecadado é revertido para as organizações Impact Lebanon e Lebanese Red Cross. Vários artistas já doaram, inclusive os ganhadores do Turner Prize de 2019 – Lawrence Abu Hamdan, Helen Cammock, Oscar Murillo e Tai Shani!

Se você é um galerista ou um artista que quer doar uma obra, entre em contato com eles via Instagram para saber como!

Imagem do Museu Sursock. Reprodução/Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *