Pacha, Llaqta, Wasichay: Indigenous Space, Modern Architecture, New Art

Whitney Museum, Nova York

Tempo de leitura estimado: < 1 minuto

“Pacha, Llaqta, Wasichay: Indigenous Space, Modern Architecture, New Art” é uma investigação sobre as práticas contemporâneas que preservam e destacam noções nativas de ambiente construído e mundo natural. As três palavras do título da mostra vêm do idioma Quechua, a língua indígena mais falada nas Américas. Cada vocábulo tem múltiplos significados: pacha significa universo, tempo, espaço, natureza, ou mundo; llaqta significa lugar, país, comunidade, cidade; wasichay significa erguer ou construir uma casa. As obras da exposição exploram as molduras conceituais herdades dos grupos indígenas do México e da América do Sul, incluindo Quechua, Aymara, Maya, Aztec, e Taíno, entre outros.

A mostra apresenta artistas latinas e latinos jovens e em ascensão, que vivem nos Estados Unidos e em Porto Rico: william cordova, Livia Corona Benjamín, Jorge González, Guadalupe Maravilla, Claudia Peña Salinas, Ronny Quevedo, e Clarissa Tossin. Suas obras investigam as complexas relações entre noções indígenas e vernaculares de construção, terra, espaço e cosmologia na história da arte moderna e contemporânea das Américas.

Pacha, Llaqta, Wasichay: Indigenous Space, Modern Architecture, New Art
Curadoria:
 Marcela Guerrero, Alana Hernandez
Visitação: até 30/09/18; quarta a segunda, 10h30-18h; sexta e sábado até 22h; aberto também às terças nos meses de julho e agosto.
Whitney Museum of American Art: 99 Gansevoort Street, Nova York. Ingressos $25

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support