Paulo PJ abre exposição em Dallas

Artista mistura elementos da história antiga com a estética da cultura urbana, desafiando valores iconográficos e as práticas coloniais

Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ
Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ

Conhecido por sintetizar a história antiga e a mitologia com a estética da cultura urbana e contemporânea, desafiando a história da imagem e as práticas coloniais, Paulo PJ abriu a exposição Every Empire Breaks Like a Vase, no The Power Station, em Dallas.

Ele sobrepõe referências materiais do Egito Antigo, da natureza-morta flamenga e da mitologia grega em suportes pictóricos e monocromáticos para destacar como esses e os símbolos tirados das ruas do Brasil se inter-relacionam e se separam. Neste contexto são inseridas esculturas fundidas de antiguidades e frutas exóticas como uma forma de  instigar reflexões filosóficas sobre precariedade das práticas colonialistas e imperialistas que informam o mundo globalizado de hoje. 

Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ
Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ

Os elementos contrastantes no trabalho de Pjota oferecem múltiplas interpretações. A abóbora encontrada em várias obras, por exemplo, pode ser vista como um símbolo de morte e decadência. O elemento aparece ao longo da história, mais notavelmente visto na forma de vasos de cerâmica mexicanos de 1300 DC. e nas pinturas de naturezas-mortas e de gênero européias dos séculos XVIII e XIX em obras de Chardin e Antoine Vollon.

Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ
Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ

Em O jardim alquímico a abóbora simboliza um “meio-termo” encontrado na transição da luz para as trevas. O cacto, um símbolo de força e resiliência, é organizado com as mesmas qualidades formais de uma natureza morta holandesa. O sol (energia masculina) e a lua (energia feminina) representam uma perspectiva de transição alternativa, o sol sendo a força criativa expansiva (yang), enquanto a lua é flexível e contemplativa (yin). As górgonas da mitologia grega são outro tópico recorrente: um monstro feroz, de aspecto feminino e com grandes presas, elas tinham o poder de transformar todos em pedra com um simples e poderoso olhar

Como afirma o texto da mostra, PJ tem uma notável capacidade de “construir narrativas visuais com elementos sintetizados da história e da paisagem social contemporânea, desenvolvendo uma pesquisa sobre o poder autoritário e seu impacto sociológico na formação cultural”.

Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ
Every Empire Breaks Like a Vase, de Paulo PJ

Every Empire Breaks Like a Vase

Data: Até Dezembro de 2021

Local: The Power Station

Endereço: 3816 Commerce St, Dallas