Playlist AQA: Jonas Arrabal

A 28ª Playlist AQA é uma seleção de músicas que o artista fez entre coisas que ele ouve em looping e outras que ele conheceu recentemente

Jonas Arrabal, mar baldio / empty sea

Você já viu o Jonas Arrabal aqui na nossa seção Artista Aposta! Na ocasião, falamos sobre como o trabalho do artista natural de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, tem uma relação profunda com a passagem do tempo e o declínio das coisas, a transformação da matéria e a ligação desses processos com sua própria história e ancestralidade. Agora, Arrabal aparece por aqui para nos dar um gostinho das músicas que ele reuniu dentre suas favoritas durante a quarentena, uma mistura de canções que ele já conhecia e que ele foi conhecendo ao longo dos últimos meses.

Essa seleção é a nossa 28ª Playlist AQA, que já contou com seleções d’OSGEMEOS, de Regina Parra, de Lyz Parayzo e de Dalton de Paula, dentre outros nomes que despontam no cenário da arte, inclusive internacional, com Chiachio & Giannone. Tudo isso você encontra na nossa aba Rádio AQA!

As escolhas de Arrabal abarcam desde músicas que ele descobriu durante a pandemia até canções que de tanto escutar em looping ele cansou, mas que de vez em quando aparecem para ele de forma nostálgica. “Dentre as que ouvia em looping, várias foram em épocas de alguns trabalhos”, ele conta. E pontua também que muitas deram títulos a trabalhos seus.

A música Vale do Jucá, por exemplo, escrita por Siba e Fuloresta, aparece na playlist em versão tocada pelo grupo Metá Metá. Parte da sua letra deu nome a um trabalho apresentado em Hong Kong. “Ah, se eu pudesse ; Só por um segundo; Rever os portões do mundo; Que os avós criaram” virou a obra If i could reenact the stories of my ancestors. “A exposição reunia artistas latino-americanos que tinham ascendência oriental”, explica o artista cujo avô era japonês. Essa questão familiar é muito significativa para Jonas, tendo estado presente também em sua exposição no Paço Imperial.

Ouça abaixo a playlist completa!