Produção de artistas indígenas em exposição na Pinacoteca de SP

Primeira mostra na instituição dedicada a trabalhos de artistas que são indígenas abre no sábado, 31 de outubro, na Pina Luz

A queda do céu II, obra de Yakunã Tuxá.

Abre neste sábado, 31 de outubro, na Pinacoteca de São Paulo uma exposição que com certeza foi uma das mais esperadas do ano! Véxoa: Nós sabemos reúne obras de 23 artistas/coletivos de diversas regiões do país e é totalmente dedicada à produção feita por artistas que têm origem indígena, de várias etnias. É a primeira vez que a instituição realiza uma mostra com esse direcionamento, mostrando seu comprometimento com os diálogos interdisciplinares que têm ganhado cara vez mais força no campo das artes visuais.

A curadoria da exposição também é feita por uma pesquisadora indígena, Naine Terena, que é doutora em educação pela PUC-SP e mestre em artes pela Universidade de Brasília (UNB). Ela comenta que a “intenção é fazer uma mostra que não tenha uma centralização no pensamento do curador ou da instituição, mas que considere profundamente o local de fala dos artistas, os anseios”.

Fotografia de Edgar Correa Kanayrõ.


Vexoá irá ocupar três salas novas no edifício da Pina Luz, feitas para a realização de exposições temporárias. Dentre as obras que compõem a exposição estão trabalhos históricos e contemporâneas de artistas individuais e de coletivos, nos mais variados suportes: pinturas, instalações, esculturas, objetos, vídeos e fotografias. A seleção busca trazer uma reflexão e uma outra forma de ver a produção artística indígena, desmistificando o imaginário de quem considera a arte feita por indígenas como artefato ou artesanato.

Para visitar a exposição, você deve reservar um ingresso especificamente para a mostra no site. O ticket não é válido para visitar outras exposições na Pinacoteca de São Paulo.

Véxoa: Nós sabemos
Curadoria de Naine Terena
Data de abertura: 31 de outubro.
Local: Pina Luz (Praça da Luz, 2, Luz).