Produção recente de João Trevisan em mostra no Museu de Arte Sacra

Artista apresenta obras que foram realizadas nos últimos três anos, período no qual passou a criar pinturas e esculturas de maneira simultânea

João Trevisan, frame do vídeo Caminhar para Acender, 2020

Após um ano de sua exposição Das noites uma livre sensação, na Central Galeria, o artista brasiliense João Trevisan retorna com outra individual à capital paulista. No Museu de Arte Sacra, localizado no bairro da Luz, ele apresenta Corpo e Alma, sendo a primeira mostra solo que ele realiza em uma instituição, além de ser também a estreia do projeto LUZ Contemporânea. São apresentadas nela um recorte dos últimos três anos da produção do artista, período no qual passou a produzir esculturas e pinturas de forma simultânea.

Ao todo, são 28 obras de Trevisan que foram incluídas na exposição, com curadoria de Simon Watson, que já trabalhou com o artista no ano passado na coletiva Terra, que buscava investigar o espírito do sertão. Dentre os trabalhos estão pinturas a óleo (em grande e pequena escala), esculturas em madeira e ferro e também uma vídeo-performance. Quase todas as obras estão instaladas em em duas salas expositivas do museu. A exceção é escultura maior, quase uma instalação site-specific, que foi colocada no jardim interno da instituição.

João Trevisan, obra da série Intervalos.

Para o artista, a forma como as esculturas estão instaladas ali é como se elas “estivessem de pé e pedindo permissão para estar naquele lugar monástico”. O Museu de Arte Sacra tem recebido há algum tempo exposições de artistas contemporâneos cujas propostas dialogam de alguma forma com a instituição, não necessariamente na temática, mas também no uso de materiais que podem remontar a um estilo próximo do barroco, por exemplo.

Uma boa gama de pinturas em formatos grandes e pequenos da série Intervalos, bastante característica de sua produção, pode ser vista nas galerias. É em uma das galerias que está outra obra que merece bastante destaque, a performance em vídeo Caminhar para acender. Nela o artista expõe de forma poética a maneira que encontra os materiais que dão origem às suas obras, como pedaços de madeira que encontra nas margens dos trilhos de uma ferrovia próxima a seu ateliê. É uma documentação um tanto lírica, além de bastante envolvente e significativa, de parte do processo de criação de Trevisan.

Corpo e Alma conta também com um tour virtual em 360º pela exposição, disponível na página da mostra no site do museu.

João Trevisan: Corpo e Alma
Com curadoria de Simon Watson
Data: Até 20 de junho de 2021
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo | MAS/SP (Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo)
Mais informações e tour 3D: http://museuartesacra.org.br/