Quatro exposições em Londres para quem vai fugir do carnaval

Bruce Conner na Thomas Dane Gallery

Célebre pelo trabalho transformador aborda as muitas facetas da sociedade americana do pós-guerra – mergulhada na crescente cultura de consumo e ávida pelo apocalipse nuclear -, Bruce Conner mostra pela primeira vez em Londres o belíssimo filme BREAKAWAY (1966) composto de duas telas que mostram o coreógrafo e cantor Toni Basil dançando na frente de um fundo preto ao som de sua música pop ‘Breakaway’, lançada em 1966. Efeitos estroboscópicos e edições de corte rápido dão ao filme de Conner um impressionante tom contemporâneo. Na segunda parte de BREAKAWAY tudo o que foi gravado é repetido ao contrário, incluindo a música de Basil, que se transforma em uma versão distorcida do original. Vale conferir. www.thomasdanegallery.com

Tim Walker no V&A

Há três anos, o mais famoso fotógrafo de moda britânico, Tim Walker, foi convidado a criar uma série de fotografias inspiradas no arquivo da V&A. Sua escolha de artefatos aparecem nesta gigantesca e impressionante mostra aqui ao lado de imagens lúdicas e surreais de vestidos de McQueen ou de celebridades como Tilda Swinton. Em alguns ambientes, destaque para a expografia: um conjunto de cores, papéis de parede e iluminação especiais causam efeitos imersivos e desorientadores. Walker não descreve a gananciosa mostra como retrospectiva, mas como “o final de um capítulo”. Estamos ansiosos para ver os próximos. www.vam.ac.uk


Eco-Visionaries na Royal Academy of Arts

Da mudança climática à extinção de espécies e à exaustão de recursos, os efeitos prejudiciais da vida moderna são mais tangíveis do que nunca. O planeta pede socorro e sem ideias criativas..será difícil sobreviver. Na mostra Eco-Visionaries , você poderá conferir o que arquitetos, artistas e designers estão fazendo para responder algumas das mais críticas questões ecológicas. Na década de 1950, os cientistas começaram a levantar sérias preocupações sobre os efeitos prejudiciais da vida moderna no meio ambiente. E o que fizemos a respeito? Respostas provocativas foram dadas por nomes como Olafur Eliasson, Ant Farm, Alexandra Daisy Ginsberg, Andrés Jaque, Tue Greenfort, Unknown Fields, Rimini Protokoll e Virgil Abloh.Passe no Royal Academy of Arts e repare na análise do impacto da humanidade no planeta e quais são as possíveis abordagens inovadoras que reformulam nosso relacionamento com a natureza. www.royalacademy.org.uk

Steve McQueen na Tate Modern

Diretor de filmes aclamados pela crítica com Hunger (2008), Shame (2010), 12 Anos de Escravidão (2013) e Widows (2018), Steve McQueen é célebre por criar filmes, fotos e esculturas que abordam questões urgentes de representação, identidade e história. Ganha merecida retrospectiva na Tate Modern com 14 importantes trabalhos. Entre eles, Exodus 1992/97, primeiro filme de McQueen realizado em uma câmera Super 8,que reflete sobre migração e multiculturalismo em sua cidade natal, Londres. Já em 7 de novembro de 2001, o visitante verá o primo do artista, Marcus, relatando o dia trágico em que ele acidentalmente atirou e feriu fatalmente seu próprio irmão. Estes trabalhos são acompanhados por instalações de vídeo imersivas: caso de Western Deep (2002) apresenta uma exploração sensorial intensa das condições de trabalho dos garimpeiros na África do Sul; e, Static (2009) que impressiona com a filmagem aérea da Estátua da Liberdade – uma figura familiar potente e fortemente simbólica que raramente pode ser inspecionada de perto. www.tate.org.uk