Quem são os homenageados com as novas estátuas em São Paulo?

A partir de setembro, estátuas de Carolina Maria de Jesus, Adhemar Ferreira da Silva, Itamar Assumpção, Madrinha Eunice e Geraldo Filme serão instaladas pela cidade em iniciativa que prevê “política de promoção da igualdade racial e valorização da diversidade étnica na capital”

Tempo de leitura estimado: 4 minutos

Nesta última semana, na qual ocorreu a Semana de Valorização do Patrimônio, a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo anunciou que a capital paulista terá cinco novas estátuas instaladas em pontos pela cidade. As figuras escolhidas para serem homenageadas são todas personalidades negras que tiveram forte ligação com o município em áreas como a música, a literatura e o esporte.

As personalidades que serão celebradas são Carolina Maria de Jesus, Adhemar Ferreira da Silva, Itamar Assumpção, Madrinha Eunice e Geraldo Filme. A instalação das estátuas começam em setembro e em até seis meses todas já devem estar nos locais indicados. De acordo com a Secretaria Especial de Comunicação: “A medida se insere numa ampla política de promoção da igualdade racial e valorização da diversidade étnica na capital”.

Veja abaixo quem são essas figuras históricas e os locais onde as estátuas serão instaladas:

Carolina Maria de Jesus

Autora de Quarto de Despejo e Casa de Alvenaria, dentre outros, a escritora Carolina Maria de Jesus terá uma estátua no Parque Linear Parelheiros, onde viveu por muitos anos. No local, também estão o Centro de Cidadania da Mulher e o Ponto de Leitura Carolina de Jesus.

Nascida em Sacramento (MG), Carolina chegou chegou à cidade de São Paulo em 1947 e se instalou na favela do Canindé, passando a trabalhar como catadora de papel de material reciclável, tendo a escrita sempre ao seu lado. Seu primeiro livro, Quarto de Despejo, publicado em 1960 após encontro com o jornalista Audálio Dantas, foi um sucesso editorial, tendo sido traduzido para mais de quinze idiomas. 

Carolina será tema de uma ampla exposição que abre no dia 25 de setembro no Instituto Moreira Salles, em São Paulo. Novas edições de Casa de Alvenaria, com capas com obras da artista Lucia Laguna, acabam de ser lançadas.


Adhemar Ferreira da Silva

A státua do atleta olímpico e tri-campeão pan-americano em salto triplo Adhemar Ferreira da Silva deve ser instalada no canteiro central da Avenida Braz Leme (Casa Verde), no bairro onde o atleta sempre morou na Casa Verde e onde clubes de atletismo surgiram a partir do sucesso dele.

O próprio campo do São Paulo Futebol Clube, onde ele treinava, hoje é o estádio do Canindé. A proposta de instalação da escultura no canteiro central da Av. Braz Leme acontece pois muitas pessoas correm e andam de bicicleta por ali, e era um caminho que Adhemar fazia em direção à casa dele.


Itamar Assumpção

Cantor, compositor e musicista, Itamar Assumpção recentemente ganhou um museu virtual que se dedica à sua vida e à sua obra. Nascido em Tietê (SP), ele passou a se dedicar à música exclusivamente nos anos 70, quando se mudou para a capital, se tornando um dos maiores expoentes da música alternativa e experimental no país.


Ainda não há certeza de onde a estátua será instalada. A Prefeitura ainda está em contato com a família do artista para indicação de lugares possíveis para a homenagem, mas localidades como a Casa de Cultura da Penha, onde Itamar gravou a trilogia Bicho de 7 cabeças, em 1993, e que também conta com um estúdio em sua homenagem e no bairro onde ele nasceu; e a Praça Benedito Calixto, importante espaço cultural da cidade próximo ao antigo teatro Lira Paulistana, já estão sendo considerados.

Madrinha Eunice

Conhecida como Madrinha Eunice, a sambista e ativista negra Deolinda Madre terá sua estátua instalada na Praça da Liberdade, local sugerido pelos familiares dela e pelo pesquisador Tadeu Kaçula.

Ela foi fundadora da Sociedade Recreativa Beneficente Esportiva Escola de Samba Lavapés, escola de samba mais antiga que ainda está em atividade na cidade, sendo considerada uma grande matriarca do samba. A região da Liberdade é onde ela residiu por mais de 30 anos ao se mudar para São Paulo, vinda de Piracicaba, e onde ficava a quadra da Lavapés. É chamada de Madrina Eunice por ter batizado dezenas de crianças ao longo de sua vida, tornando-se madrinha de todas elas.

Geraldo Filme

O músico e sambista Geraldo Filme terá sua estátua colocada na Praça David Raw, na Barra Funda, próximo ao antigo Largo da Banana. O local era muito frequentado por Geraldo e se configura como um espaço marcante do Samba Paulistano. O local foi aprovado por pessoas do movimento e pela própria família de Geraldo.

Com um legado importantíssimo para o samba na capital paulista, ele era conhecido como Geraldão da Barra Funda e gravou quatro discos, incluindo História das Quebradas do Mundaréu (1973), com Plínio Marcos, Toniquinho Batuqueiro e Zeca da Casa Verde, e O Canto dos Escravos (1982), com Clementina de Jesus e Doca. Foi compositor de sambas para as escolas Peruche e Vai-Vai e compôs a música Tradição, que virou um “hino” do Bixiga. 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support