Questões de vestibulares fazem intersecções com obras de arte

A derrubada de estátuas, as apropriações de Duchamp em conversa com Racionais Mc’s e a característica renascentista em obra de Botticelli foram alguns dos pontos abordados

Sandro Botticelli, A Primavera, 1482

As provas de vestibulares para ingresso em universidades de todo o Brasil, para o período 2021/1, foram adiadas. Comumente realizadas entre os meses de outubro e novembro, as provas de primeira fase foram postergadas em razão da pandemia.

Várias delas foram marcadas para este mês de janeiro, especialmente as de universidades públicas. Dois dos mais tradicionais vestibulares do país, para a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), tiveram suas fases iniciais na semana passada. Ainda devem acontecer em janeiro as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) e da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), caso não haja mudanças de planos com o aumento dos casos de Covid-19 pelo Brasil.

Nas provas da USP e da Unicamp, os estudantes já viram que a arte sempre estará presente nesses processos seletivos! É muito comum que questões de diversas áreas façam alguma relação com obras de arte e sua contextualização! Na prova da Fuvest, que realiza o processo seletivo para a USP, uma questão da área de História pediu que o candidato analisasse a obra A Primavera, de Sandro Botticelli, e respondesse a afirmação que explicasse corretamente o porquê dela ser considerada renascentista.

A alternativa correta apontava o fato de que as obras do Renascimento utilizavam a perspectiva tridimensional, provocando uma ilusão de profundidade e também de espaço! Essa noção do tridimensional que trouxe a ideia de profundidade nas pinturas foi uma das maiores contribuições da arte desenvolvida nesse período!

Mona Lisa de Bigode, de Marcel Duchamp

Já a prova da Unicamp teve ainda mais arte! Um dos testes pedia que os alunos refletissem sobre a polêmica da derrubada de estátuas de figuras controversas da História, que teve bastante ênfase no ano passado. Falamos sobre isso aqui no AQA! A questão na prova teve uma imagem da derrubada da estátua de Cristóvão Colombo em Minnesota, nos EUA, e pediu que os alunos assinalassem a afirmação certa com base em seus conhecimentos sobre as relações entre presente e passado!

Ponto para quem assinalou a alternativa que considera que há uma tendência revisionista que busca “enfatizar, de forma condenatória, a exploração da mão de obra escrava negra e, no caso de Colombo, também a opressão que se abateu sobre as populações indígenas da América”.

Em outra questão, foi trazida a Mona Lisa de Bigode, de Marcel Duchamp, para contextualizar uma questão sobre apropriações de conteúdos, mixagem e montagens. Ela era uma das perguntas da prova de CIÊNCIAS HUMANAS/ARTES e trazia também um trecho de livro sobre as apropriações no estilo musical rap para ser analisada. Isso porque o álbum Sobrevivendo no inferno, do grupo Racionais Mc’s, é uma das obras exigidas pelo vestibular.

A alternativa correta da fazia uma comparação entre o ato de Duchamp de pintar um bigode na Gioconda de da Vinci e as referências culturais nas músicas dos Racionais Mc’s! “Ambos são apropriações imaginativas e críticas”, finaliza a afirmação.

O Bolchevique, de Boris Kustodiev

A prova também teve a obra O Bolchevique, quadro pintado pelo artista russo Boris Kustodiev em 1920 que faz referências à Revolução de 1917! A questão pedia para que o candidato assinalasse a alternativa que analisasse corretamente o que o quadro retratava e o seu contexto histórico! A alternativa considerada correta esboça como a arte era importante para o governo revolucionário soviético, que via em obras como O Bolchevique a afirmação de sua ideologia.

Conheça os cursos do ARTEQUEACONTECE e acompanhe nosso site, em especial a seção ANÁLISE AQA, para ficar preparado para os vestibulares!