Sonia Gomes: Ainda assim me levanto

Casa de Vidro, São Paulo

No ano em que completa 70 anos, Sonia Gomes ganha sua primeira monográfica simultânea em dois espaços culturais assinados por Lina Bo Bardi: o MASP e a Casa de Vidro, que desafiam a artista a dialogar com a arquitetura modernista. Ainda assim me levanto é o título escolhido pela artista, em referência ao poema “Still I Rise”, de Maya Angelou, escritora e ativista estadunidense reconhecida por sua luta em favor dos direitos civis, sobretudo para os negros e as mulheres. O caráter inédito da exposição vai além de novos trabalhos, e encontra-se na escolha de um dos materiais com o qual ela decidiu trabalhar: a madeira. As esculturas e instalações executadas comumente em tecido envolvem peças de mobiliário ofertados à artista ou encontrados ao acaso, bordadas com minúcia.

Sonia Gomes: Ainda assim me levanto
Curadoria:
 Amanda Carneiro
Abertura: 24/11/18, 11h
Visitação: até 24/02/19; quinta sábado – 10h, 11h30, 14h e 15h30
Casa de Vidro: Rua General Almério de Moura, 200, São Paulo. Ingressos: R$20/R$10.