Vkhutemas: O futuro em construção (1918 – 2018)

Sesc Pompeia, São Paulo

A História da Arte possui várias lacunas. Na Grécia Antiga ou em momentos mais recentes, como no começo do século XX na Rússia, diversas obras foram destruídas ou desapareceram, dificultando que suas histórias sejam contadas. Em Moscou de 1930,  a escola soviética de artes Vkhutemas foi fechada pelo regime stalinista. Dessa forma, uma das mais importantes revoluções artísticas do modernismo foi apagada.

Pensando em mostrar a influência dessa escola e dos artistas que passaram por ela, o Sesc Pompeia realiza a exposição “Vkhutemas: O futuro em construção (1918 – 2018)”, com curadoria Celso Lima e Neide Jallageas. A mostra estreia dia 26 de junho e recria cerca de 300 projetos de 75 artistas, designers e arquitetos da Vkhutemas,  ficando exposta até dia 30 de setembro.

Entre os projetos recriados para “Vkhutemas: O futuro em construção (1918 – 2018)”, estão obras de artistas como Ródtchenko, Tátlin, Kandinsky, Maliévitch, El Lissítzki, Zaliésskaia e Komaróva. “Oferecemos ao público uma seleção sintética da produção de grandes mestres, com destaque para as estruturas físicas e tridimensionais de gesso Arkhitekton, criadas por Kazimír Maliévitch, o projeto A Cidade Flutuante, do arquiteto Gueórgui Krútikov, as peças de roupas desenvolvidas por Liubov Popova e Várvara Stepánova”, cita a pesquisadora de cultura russa e curadora da exposição, Neide Jallageas.

Vkhutemas: O futuro em construção (1918 – 2018)
Curadoria: Celso Lima e Neide Jallageas
Visitação: até 30/09/18; terça a sexta, 10h-21h30; sábado e domingo, 10h-18h.
Sesc Pompeia: Rua Clélia, 93, São Paulo. Entrada gratuita.